A Santa Casa de Montes Claros suspendeu nesta sexta-feira (12) novos atendimentos no setor de pronto-socorro, sob alegação de superlotação da unidade. A ala chegou nesta sexta ao número de 58 pacientes internados, quase o triplo da capacidade. O hospital é referência para atendimento de urgência para 86 cidades da região Norte de Minas e também para o Sul da Bahia. 

Agora, a população fica praticamente sem um hospital de grande porte para atendimento pelo SUS, já que o Hospital Universitário Clemente Faria também reduziu o atendimento no ano passado.

Uma mulher, que pediu para não ser identificada, contou à reportagem que aguardava atendimento na recepção quando, por volta das 11h30, um segurança do hospital solicitou que todos deixassem o local e fechou a entrada do Pronto-Atendimento. A partir daí, todos que procuravam o serviço encontravam a porta fechada com um bilhete informando a suspensão. 

A dona de casa Brenda Caroline Gonçalves levou o seu bebê de 7 meses, mas não conseguiu entrar no hospital. “Meu filho está com 40 graus de febre, eu mediquei ele na parte da manhã, mas a febre continua. Está muito fraco. Vou ter que correr e procurar outro hospital”, disse, apressada. 
Alguns familiares de pacientes chegavam à portaria após receberem um telefonema de funcionários da Santa Casa. O operador de móveis Valdeir Gonçalves Pereira está com a mãe internada desde quinta-feira. 

“Me ligaram em casa e disseram que ela seria transferida para o hospital Aroldo Tourinho. Nem falei com médico, só o guarda da portaria que me informou. Não me deixaram entrar”, contou. 

VISTORIA

O presidente do Conselho Municipal de Saúde de Montes Claros, Joaquim Francisco de Lima, chegou até o hospital para uma inspeção. Após visitar as instalações, classificou as condições da unidade como uma “situação de guerra”. “É um atendimento desumano, não só para os pacientes, mas também para os funcionários da Santa Casa”, disse. 

Em nota, a assessoria da Santa Casa de Montes Claros afirmou que o hospital “está em Plano de Contingência por superlotação na Unidade de Pronto-Socorro” e que “a unidade está atendendo somente os casos de emergência com iminente risco de morte que chegarem inadvertidamente ao Pronto Socorro e casos agudos de referência exclusiva (casos com classificação vermelha)”.

Confira na íntegra a nota da Santa Casa:

A Santa Casa de Montes Claros vem a público esclarecer que o hospital está em PLANO DE CONTIGÊNCIA por superlotação na Unidade de Pronto Socorro. Comunicamos que, provisoriamente, conforme orientação da Superintendência Regional de Saúde, o hospital está atendendo somente os casos de emergência com iminente risco de morte que chegarem inadvertidamente ao Pronto Socorro e casos agudos de referência exclusiva (casos com classificação vermelha). A Santa Casa de Montes Claros é referência em alta complexidade para aproximadamente dois milhões  de habitantes em 86 municípios do norte de Minas, Vales do Jequitinhonha e Mucuri, além do sudoeste da Bahia.  Atualmente a Instituição possui 20 leitos no Pronto Socorro e a lotação diária na unidade é  em média de 50 pacientes. Neste momento encontram-se internados no Pronto Socorro 58 pacientes. Na oportunidade, informamos que as autoridades responsáveis foram comunicadas sobre a situação. Entre elas, Ministério Público Estadual, Secretaria Municipal de Saúde, Superintendência Regional de Saúde. Em casos de necessidade, a população deve procurar outros hospitais e a rede básica de saúde.