Doença comum nos dias quentes e úmidos, a conjuntivite já fez  2.497 vítimas em Belo Horizonte em 2018, considerando apenas aqueles pacientes que passaram pelos Centros de Saúde da Prefeitura.  As regionais que apresentaram maior número de casos foram Leste, Norte, Nordeste, Oeste e Pampulha.

A doença é a inflamação da conjuntiva, membrana que recobre a porção anterior da esclera (branco do olho) e a face interna das pálpebras.É transmitida de pessoa para pessoa principalmente por objetos contaminados como toalhas, travesseiros, lenços, lápis, copos, entre outros. Os principais sintomas da conjuntivite são olhos irritados ou vermelhos, inchaço nas pálpebras e secreção ocular ou lacrimejamento.

A higiene redobrada é a principal forma de prevenção, principalmente o cuidado de não colocar as mãos nos olhos e coçá-los. Evitar o compartilhamento de objetos de uso pessoal como maquiagem, toalhas, óculos, travesseiros, fronhas, copos, lenços, lápis também é fundamental. 

Veja como se proteger:

conjuntivite

 

Leia mais:

Conjuntivite deixa Minas em alerta: surto é registrado em 41 cidades mineiras