Os jornalistas Renato Fonseca, Raquel Ramos e Flávio Tavares receberam na noite desta segunda-feira, na sede do Ministério Público de Minas Gerais, em BH, o Prêmio de Jornalismo Promotor de Justiça Chico Lins, oferecido pela Associação Mineira do Ministério Público (AMMP).

Eles conquistaram o segundo lugar, com a série sobre os 25 anos do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), do Hoje em Dia. A série mostra que, 25 anos após entrar em vigor, o ECA ainda não conseguiu, na prática, garantir a todos os jovens e adolescentes os direitos que o documento determina. Ao mesmo tempo, a lei conquistou alguns avanços importantes para essa parcela da população, mas há muito ainda o que buscar.

O objetivo do prêmio é estimular a publicação de matérias relacionadas com a atuação do Ministério Público brasileiro e reconhecer e premiar trabalhos jornalísticos que se destaquem por tornarem acessíveis ao público informações sobre o MP.

A premiação está no quarto ano, e o Hoje em Dia marcou presença entre os agraciados em todas as edições.

Chico Lins

Francisco José Lins do Rego foi assassinado, com extrema violência, quando se dirigia para o trabalho, pelo empresário Luciano Farah. Chico Lins, como era conhecido pelos colegas e amigos, investigava o empresário, que era então suspeito de comandar uma rede de distribuição de combustível adulterado.

Ele recebeu e ainda recebe inúmeras homenagens em todo o país. Como exemplo, o Grupo Nacional de Combate às Organizações Criminosas (GNCOC), criado após a sua morte, leva o seu nome – Promotor de Justiça Francisco José Lins do Rêgo Santos, bem como a Medalha do Mérito do MPMG, criada também por ocasião do seu assassinato; a Junta Recursal do Procon Estadual; o Parque Ecológico Pampulha, condomínios e memoriais, entre outras.