Só Jesus (e você) pode nos salvar

Eduardo Costa / 13/01/2014 - 07h40

A propósito de uma coluna que escrevi na semana passada, sobre a mesmice do Ano Novo, o leitor Luís Clésio Marques pede a relação de deputados federais por Minas, com ênfase nos que tiveram mais votos na região metropolitana. Eu quero dizer a ele que, a qualquer dia e hora, quem acessar o site www.camara.gov.br vai encontrar não apenas a bancada mineira, mas detalhes que podem ajudar na avaliação do trabalho de cada um, como biografia, discursos em plenário, presença em plenário, presença em comissões, votações em plenário, proposições de sua autoria; enfim, a produção de cada um. Ou acessar sites como o transparenciabrasil.org.br.

Adianto que o resultado não será animador; entretanto, é fundamental para constatarmos o quanto nossa bancada, de 53 deputados – a segunda maior – é pífia e o tamanho da nossa responsabilidade para mudar o quadro em outubro. E não basta votar, é preciso fazer o boca a boca, informar aos mais dispersos, convencer os desiludidos (aqueles que votam em qualquer um porque “ninguém presta”,etc.)
Recentemente, o Hoje em Dia publicou que a média de falta dos parlamentares às reuniões de comissões é de 41%, mas, no caso dos mineiros, é de 45%, ou seja, eles faltam à metade das importantes reuniões que discutem os projetos. Também foi divulgado que apenas dois dos nossos representantes figuram entre os autores de projetos de algum interesse. Se você buscar entre os integrantes da mesa diretora, apenas um mineiro – Vitor Penido, na discretíssima terceira suplência da secretaria.
Agora, uma informação que dá mostras da indiferença desses homens e mulheres em relação aos representados está publicada desde o dia 20 do mês passado na página principal do site da Câmara. Fizeram uma lista com os projetos mais importantes aprovados nas áreas de justiça, política, saúde, social, economia, segurança, esportes, direito do consumidor, economia, trabalho, direitos da mulher, transporte, setor público, educação, habitação, cultura e agricultura. Quantos mineiros? Dois. Um deles, Leonardo Mattos, agora é vereador em Belo Horizonte, quer dizer, o projeto votado em 2013 é antigo.
Então, caro Luís, você pode descobrir a bancada e falar com cada um dos parlamentares... É só escrever as letras “dep”, em seguida o nome dele e acrescentar @camara.leg.br. Por exemplo: dep.jomoraes@camara.leg.br . Veja se você está satisfeito com o trabalho da comunista, as bandeiras levantadas por ela, se está alinhada ou não com o governo, quanto brigou por nossas liberdades e também nossas obras, algumas tão sonhadas como a duplicação da BR-381, a revitalização do Anel Rodoviário e a construção de um metrô em Belo Horizonte. Ou pergunte, através do dep.antonioroberto@leg.br, se é verdade que é um dos mais faltosos às reuniões de comissões. Enfim, informe-se sobre o seu, aquele deputado no qual você votou e, depois, repercuta os resultados.
 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários