A Polícia Civil de Minas Gerais concluiu o inquérito que identificou os quatro menores suspeitos de atear fogo no pátio de apreensões de veículos, utilizado pelo Detran de Minas Gerais, em Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, no dia cinco de setembro. As conclusões foram apresentadas nesta quarta-feira (13).

Durante os depoimentos, um dos menores confessou que, há cerca de dois meses, foi responsável por outro incêndio no mesmo local e disse que havia ateado fogo sem motivos, somente por diversão.

De acordo com o balanço da Polícia Civil, 70% dos quase 200 veículos do pátio foram queimados. O prejuízo estimado supera os R$4 milhões de reais. 

Mas os adolescentes suspeitos de envolvimento no crime, dois de 14 e dois de 15, estão em casa por falta de espaço para internação. Segundo a delegada regional de Nova Lima, Valeria Decat, o pedido de internação já foi confirmado, mas aguarda a confirmação das Autoridades Competentes. “Os adolescentes foram liberados, porém o pedido de internamento dos menores já foi encaminhado ao Ministério Publico. Este mesmo pedido ainda esta sob análise perante o Ministério Público e Magistratura”, afirmou. Os adolescentes vão responder pelo ato infracional análogo a incêndio.

Por meio de nota, o Ministério Público Estadual informou que " o fato registrado caracteriza-se por crime de dano – ensejando ação penal privada. Pena prevista de 3 a 6 meses de detenção". Quando à internação, o órgão informou que "o estado não dispõe de lugar apropriado para a detenção de menores. Assim, os acusados do incêndio foram entregues às suas famílias. O Ministério Público de Nova Lima está aguardando a conclusão de apurações e de laudos para então, dispor de material para embasar representação contra os adolescentes que deverão responder pelo ato infracional cometido", justificou.
 

Investigações

Durante as apurações, a equipe de investigadores conseguiu coletar imagens de câmeras de segurança onde foi possível ver os menores fugindo após a prática do ato infracional. Mas a identificação dos menores só foi possível graças a uma denúncia anônima, informando que um deles estava trajando uma camisa do Flamengo e bermuda estampada em florais, além de estar acompanhado de outros três menores. 

No mesmo dia do crime, dois menores foram abordados por guardas municipais e policiais civis de Nova Lima, sendo que um deles estava com os trajes citados na denúncia. Os policiais foram informados da abordagem e foram até a casa dos adolescentes. Os dois confessaram o crime e apontaram os outros envolvidos, que também foram localizados e admitiram a participação no incêndio. 

Leia mais:
Quatro adolescentes são apreendidos por incêndio em pátio da Polícia Civil em Nova Lima