Fim da linha para mais uma quadrilha suspeita de comandar ataques a agências bancárias no interior de Minas. Quatro homens foram presos ontem em Montes Claros, no Norte do Estado. O bando fazia o monitoramento de novos alvos e assumiu a responsabilidade pela explosão, mês passado, de um banco em Ibiaí, na mesma região, de onde levaram R$ 22 mil em dinheiro.

Três criminosos eram de Uberlândia, no Triângulo Mineiro, e um de Pirapora, também no Norte. A polícia investiga se o bando, que sempre age fortemente armado e instala o terror em municípios pequenos, tem relação com outras ocorrências.

“Eles disseram que estavam hospedados em Montes Claros para identificar possíveis cidades com segurança vulnerável”, contou a chefe da assessoria de imprensa da 11ª Região da Polícia Militar, major Gracielle Rodrigues.

Identificação

Bem organizada e com grande poder bélico, a quadrilha levantava informações sobre a rotina da localidade, movimentação nas instituições financeiras e rotas de fuga. Na “lista de preferência” entravam locais com pouca circulação de pessoas. “Eles também identificavam a localização das unidades policiais”, explicou a major.

Os homens, com idades de 24 a 37 anos, foram presos durante ação da PM em rodovia que dá acesso à cidade de Mirabela. “Durante a abordagem, apresentaram documentos falsos. Após cruzamento de dados com a polícia do Triângulo, descobrimos que o grupo tinha envolvimento com explosões de bancos”, detalhou a militar. 

Na casa de um dos criminosos, em Uberlândia, a polícia apreendeu um fuzil, pistolas, munição, toucas ninjas e pregos usados para estourar pneus.

Os homens foram levados para uma delegacia da Polícia Civil em Montes Claros. Eles devem responder por associação criminosa, desobediência e porte ilegal de armas e explosivos.

Frequente

A onda de violência que aterroriza o interior de Minas ganhou força após um assalto em Santa Margarida, na Zona da Mata, em 10 de julho. Um grupo armado com fuzis e submetralhadoras roubou um banco, fez reféns e matou dois homens. Em 24 dias foram pelo menos 10 crimes.

Nas últimas semanas, o Hoje em Dia mostrou que os ataques chamam atenção não apenas por mortes e prejuízos, mas também pelo armamento pesado utilizado com frequência pelas quadrilhas. 

Ontem, ladrões trocaram tiros com militares em Capelinha, no Jequitinhonha, após a explosão de caixas eletrônicos no centro do município. Força-tarefa foi montada para localizar os suspeitos. O alvo deles era uma agência da Caixa Econômica Federal.

Últimos ataques

10/07: Santa Margarida (Zona da Mata)
11/07: Matias Cardoso (Norte de Minas)
12/07: Coromandel (Alto Paranaíba)
17/07: Ibiaí (Norte)
18/07: Grão Mogol (Norte)
27/07: Conceição da Aparecida (Sul)
01/08: Gameleiras (Norte), Formiga (Centro-Oeste), Monsenhor Paulo e Alterosa (Sul)