A contratação do goleiro Bruno Fernandes para o reforçar o Boa Esporte Clube, que atualmente disputa o Módulo II do Campeonato Mineiro, pode comprometer a vida financeira do clube. Nesta segunda-feira (13), mais um patrocinador anunciou oficialmente o rompimento de parceria. Desta vez foi a empresa Magsul, clínica de ressonância magnética do Sul de Minas. No comunicado divulgado na rede social da empresa, o grupo informa apenas que “rescindiu seu apoio e patrocínio ao Boa Esporte Clube”.

O goleiro está em liberdade desde o dia 24 de fevereiro, após habeas corpus concedido pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Desde a soltura, Bruno procura restabelecer a atividade profissional. Na última sexta-feira (10), a Coruja de Varginha anunciou a contratação do camisa 1.

A polêmica decisão da diretoria do atual campeão da Série C do Brasileirão acabou causando protestos. No fim de semana, duas patrocinadoras do clube também anunciaram a suspensão da parceria, a Nutrends Nutrition (suplementos alimentares) e a CardioCenter (Clínica médica especializada em cardiologia).

Outros dois patrocinadores devem anunciar nesta segunda-feira a permanência ou não no clube. A Kanxa, fornecedora de material esportivo, e a Góis & Silva, patrocinadora master, também analisam a repercussão a respeito da contratação do ex-goleiro de Atlético e Flamengo.

Mesmo com tantas manifestações contrárias ao novo reforço do clube, a assessoria ratificou que a contratação do novo arqueiro permanece. O goleiro realiza, nesta tarde, exames para a contratação em sua nova cidade, localizada no Sul de Minas. Ele viajou com a mulher Ingrid Calheiros, no Rio de Janeiro, e deve chegar no início da tarde.

Leia mais:
Outro patrocinador do Boa Esporte ameaça sair após pressão popular
Página do Boa Esporte é hackeada e patrocinadores sofrem pressão
Ministro do STF rejeita recurso da mãe de Eliza Samudio contra soltura de Bruno