O Zoológico de Belo Horizonte reabre, nesta sexta-feira (2), após uma semana fechado para prevenção da febre amarela. Porém, o retorno para visitação terá uma exigência para o público: a apresentação de documento de identidade e cartão de vacinação comprovando a dose da febre amarela, tomada há pelo menos 10 dias, tempo necessário para o medicamento fazer efeito. 

“Embora não tenhamos registros de casos de febre amarela ou morte de primatas nas proximidades do zoo, adotar essa exigência do cartão de vacinação para visitação do Zoológico, do Jardim Botânico e do Aquário do Rio São Francisco é importantíssimo, pois são locais que concentram muitas pessoas aos finais de semana e estão em meio à mata", afirmou Sérgio Augusto Domingues, presidente da Fundação de Parques Municipais e Zoobotânica de Belo Horizonte (FPMZB). 

De acordo com a FPMZB, gestora da área, a ação serve para sensibilizar a população e aumentar as taxas de vacinação, além de garantir a segurança dos que visitam ou trabalham no local e também dos animais do Zoológico. 

A nova regra segue recomendações da Secretaria Municipal de Saúde (SMSA). As pessoas que não puderam ser vacinadas não poderão entrar no local. 

Visitas aos primatas estão suspensas

Os pequenos primatas integram as espécies mais vulneráveis à contaminação pela febre amarela. Por isso, a partir do dia 2 de fevereiro, estarão fora da área de visitação as seguintes espécies: bugio, parauacu, sagui-imperador, macaco-da-noite, mico-leão-de-cara-dourada, mico-leão-dourado, macaco-prego e guigó. 

Para ficarem isolados do contato com os mosquitos, eles foram transferidos para recintos adaptados, fechados com telas finas, que não permitem a passagem dos insetos. 

Esses recintos ficam localizados fora da área de visitação, ao lado do hospital veterinário. Por isso, o acesso é restrito aos tratadores, cuidadores e funcionários do zoológico. “Infelizmente quem vier ao zoológico a partir do dia 2 de fevereiro não poderá ver os pequenos primatas, mas é importante entender que essa é uma medida preventiva, temporária, para segurança exclusiva desses animais num momento de alerta contra a doença”, comenta Sérgio Augusto.

Serviço: 

Jardim Zoológico, Jardim Botânico e Aquário da Bacia do Rio São Francisco
Funcionamento: De terça a domingo, das 8h às 17h (Entrada permitida até às 16h)
Entradas: De 3ª a 6ª - R$ 4 (por pessoa) / sábado - R$ 5 / domingo e feriado R$ 8
Moto - De 3ª a sábado - R$ 5 / domingo e feriado - R$ 10 
Carro - De 3ª a sábado - R$ 10 / domingo e feriado - R$ 20
* A entrada no aquário é R$ 6
Informações: 3277-8489

* Fonte: PBH

Leia mais:
Zoo de BH fecha as portas temporariamente para aumentar a proteção contra a febre amarela
Inhotim começa a exigir cartão de vacinação contra a febre amarela
Parque em Congonhas vai exigir cartão de vacina de visitantes