Um pequeno arquipélago do Mar Mediterrâneo tem atraído a atenção de muitos brasileiros que desejam estudar fora do país. Uma alternativa para fugir dos destinos mais tradicionais, Malta se destaca pelas belezas naturais, história e programação cultural intensa. 

O país, que foi colônia da Inglaterra, tem o inglês como um dos idiomas oficiais, o que faz com que a procura por cursos da língua inglesa na região seja grande. Além disso, o maltês, derivado do árabe, e o italiano são falados pela população local.

Segundo Luíza Vianna, gerente de produto da CI – Intercâmbio e Viagem, as ilhas europeias sofreram grande crescimento da procura, o que as colocou na lista dos Top 10 de destinos mais buscados pelos futuros intercambistas. 

Sem visto

Outro destaque do destino é que Malta não exige visto se a estadia durar menos de 90 dias. “Essa facilidade, somada ao fato de que o intercâmbio em Malta pode ser 30% mais econômico do que em outros países da Europa, pelo custo de vida mais barato, atrai muitos viajantes”, ressalta Luíza.

As paisagens paradisíacas também são um diferencial e tanto. “Malta concilia os benefícios do intercâmbio com as delícias de viajar para um lugar lindo, com muito sol e praia”, observa Luíza.

Para os intercambistas mais festeiros, o arquipélago não deixa a desejar. No verão são inúmeras atrações: shows, festas e eventos esportivos. Além disso, a proximidade com outros países do Velho Continente possibilita que os viajantes visitem outros destinos europeus, como França e Holanda, por exemplo.

Ilha de Malta

Antiga colônia da Inglaterra tem população de apenas 421 mil habitantes

E mais:

Território pequeno e disputado

Um dos menores países da Europa, com316 km² de área, Malta fica 93 km ao sul da ilha da Sicília (Itália) e 288 km a nordeste da Tunísia (África). Apesar do pequeno território, tem a terceira maior densidade demográfica do continente, com 421 mil habitantes. A capital é Valeta e a maior cidade, Birkirkara. O maltês é a língua nacional e o inglês é a língua co-oficial.

Serviço

No Brasil há algumas empresas especializadas em promover intercâmbio internacional para estudo, trabalho ou lazer para vários países, inclusive Malta. A hospedagem, geralmente, é em casas de família, com duração de três semanas ou mais, para a faixa etária dos 13 aos 35 anos. O preço cobrado por agências para intermediar o intercâmbio gira em torno de R$ 350.

É possível chegar a Malta por ar ou pelo mar. Há um aeroporto perto de Valeta, a capital, que recebe voos das principais cidades europeias. O mais comum é que brasileiros cheguem à Itália ou a Portugal e de lá sigam para o arquipélago. Outra possibilidade é ir em um ferryboat, espécie de balsa, da Itália (Calábria, Catania, Sicília e Nápoles) ou Tunísia. A viagem dura 1h45 e é fascinante. O bilhete no ferryboat custa a partir de 70 euros.