Pessoas que moram ou trabalham há mais tempo no Barreiro garantem: quem passa por lá não quer mais sair. A infraestrutura oferecida na região é um dos pontos destacados. Devido à ampla rede comercial, às agências bancárias e aos prestadores de serviços dos mais variados segmentos, os moradores e comerciantes não precisam se deslocar até o Centro da capital para fazer compras ou pagamentos.

A mobilidade, principalmente pela presença de duas estações de ônibus – a Barreiro e a Diamante –, também é apontada como um diferencial. O centro comercial é efervescência pura. “É uma ‘cidade’ completa”, enfatiza o presidente do Rotary Club do Barreiro, Antônio Soares, de 74 anos.

Nascido em Pará de Minas, na região Central de Minas, Soares mora no Barreiro desde os 5 anos e fundou em 1965 a empresa “Baratão Cereais”, a segunda do ramo instalada por ali. “Fizemos amigos, clientes que se tornaram amigos. A nossa história de vida no bairro é rica, as lembranças são muitas”, diz.

Como ele, outras pessoas também não escondem o que sentem pelo Barreiro: um amor incondicional. Quem mora não quer sair. E quem vive em outros bairros não perde a oportunidade para passear pela região. “É muita tranquilidade em um lugar só”, afirma o técnico em videogame Geilson Fonseca de Souza, morador do Céu Azul, na Pampulha.