Quando chegou ao Barreiro, em 11 de outubro de 1975, Luiz Rodrigues Nola não imaginava que o Santa Helena, onde mora, se transformaria em um dos bairros mais badalados junto ao ramo imobiliário.

Quarenta e um anos depois, o aposentado, hoje com 68, ainda comemora o crescimento da área, uma das mais procuradas por quem decide fixar moradia no Barreiro. E garante: “só saio daqui para morar numa casinha no interior. Caso contrário, ficarei para sempre. Temos de tudo, não precisamos ir ao Centro de Belo Horizonte para fazer compras ou qualquer outra coisa”.

Assim como o Santa Helena, os bairros Barreiro de Baixo, Diamante e Milionários são os mais procurados por quem quer comprar ou alugar imóveis na região. Os grandes atrativos, de acordo com o gerente de vendas da Real Imobiliária, Thalles Vilaça Sales, são a proximidade com o centro comercial e o acesso rápido a outras áreas pelas principais avenidas do Barreiro.

Demanda

Grande parte dos interessados em imóveis na região, diz Sales, já mora ou morou no Barreiro. “Procuram por conhecer a infraestrutura da região e saber que ela, realmente, é bem servida. O Barreiro tem vida própria, tem o próprio comércio, é independente de Belo Horizonte. É, de fato, a melhor região para se morar na capital mineira”, afirma. 

Foi por conhecer as facilidades oferecidas pela região que um dos quatro filhos de Luiz Nola comprou um lote algumas ruas acima da casa do pai. “Ele foi criado aqui, gosta da vizinhança. Todo mundo conhece todo mundo. Muitos moradores são filhos dos antigos moradores”, diz o aposentado.

Grandes empresas

Mas a força imobiliária do Barreiro vai além das unidades residenciais. Edificações comerciais começam a ganhar espaço, após 12 anos sem grandes lançamentos, ressalta o diretor de Estatísticas e Tecnologia da Câmara do Mercado Imobiliário (CMI) Secovi Minas Gerais, Pedro Augusto Rezende. 
Segundo ele, após o boom imobiliário que a região registrou entre 2008 e 2011, o mercado se estabilizou, mas agora volta a se aquecer. “Antes não tínhamos grandes construtoras e incorporadoras com os olhares voltados para a região. Hoje, há muitos empreendimentos comerciais de grande porte se instalando por lá”.

Um dos destaques, inclusive, é uma construção que engloba unidades comerciais e residenciais nas proximidades do Hospital do Barreiro, no bairro Milionários. “É o primeiro desse perfil na região”, frisa Rezende. Para ele, a chegada desse tipo de empreendimento é um ganho para o Barreiro, mostrando a força do comércio na região.

 

Peça-chave para o crescimento da região, ViaShopping prepara expansão

Há 13 anos no Barreiro, o ViaShopping é peça fundamental no crescimento da região. Foi graças ao mall que a avenida Afonso Vaz de Melo, no Barreiro de Baixo, onde está localizado, ganhou vida e hoje é uma das vias mais movimentadas da área. Pelo centro de compras, que está integrado a uma estação BHBus, passam cerca de 100 mil pessoas diariamente.

Especial Barreiros
Cerca de 100 mil pessoas passam diariamente pelo mall

Uma delas é o programador de logística Fabiano da Silva Ribeiro, de 33 anos, cliente fiel da loja Rúbio Muradas, instalada no shopping. Não são raras as vezes em que ele sai do trabalho, na Mannesmann, e passa pelo mall para conferir as novidades em vestuário. “Moro em Ibirité (na Grande BH) e acho mais cômodo comprar aqui, pois há variedade de produtos e muitas opções de lojas”.

“Ao longo dos anos, o ViaShopping tornou-se um empreendimento de referência para a região do Barreiro, e nota-se o fortalecimento da marca a cada dia. Além da Estação BHBus, um mix variado de lojas e serviços diversificados oferecidos ao consumidor, como faculdades, posto Uai e lotérica, o shopping oferece opções de lazer, reforçando o conceito de crescimento, união e proximidade com nossos clientes”, enfatiza o diretor-geral do mall, Bernardo Nogueira.

Mais lojas

E o centro de compras está se preparando para mais uma grande inauguração. Em meados do próximo mês, a expectativa é a de abertura de uma academia de uma grande rede da capital mineira. Uma outra expansão do shopping está prevista para o fim de 2018, segundo o diretor-geral.