O negócio começou com uma mercearia, na década de 1980. Mas no início dos anos 2000, com quatro mesas e um balcão, José Batista Martins, de 66 anos, o “Zezé”, resolveu variar o negócio. Quatro anos depois o “Bar do Zezé” já era sucesso na capital depois de cair nas graças do público do “Comida di Buteco”: foi campeão logo na primeira participação. “E estamos no Barreiro, região que tem bons bares e botecos na cidade”, comemora o proprietário.

É no Barreiro que o servidor público Luciano Soares, de 40 anos, gosta de ‘tomar uma’ com os amigos. “Fiquei apaixonado pelo Barreiro quando comecei a dar aula aqui. Vim morar na região e, hoje, até fazemos tour gastronômico”.

Um dos últimos encontros com a turma foi no Bar do Zezé, na última terça-feira. Em companhia da assistente social Estefânia Magalhães, de 36 anos, e do servidor público Eduardo Rodrigues, de 38, Soares saboreou o “Ouro das Gerais”, prato com bolinhos de canjiquinha recheados com queijo Minas e servido com carne serenada e creme de mandioca.

“O ambiente é acolhedor e familiar, além de os tira-gostos serem deliciosos. São esses os grandes atrativos dos bares do Barreiro”, frisa Estefânia. “Além de tudo, no Zezé a decoração é um charme à parte”, completa Rodrigues.

Especial Barreiro

Familiar
A família à frente do negócio é um dos diferenciais nos bares e botecos do Barreiro, afirma Antônio Lúcio Martins, organizador do 

festival gastronômico Botecar. No Bar do Zezé, por exemplo, a esposa e os três filhos do proprietário também tomam conta dos 

negócios. “A região é uma das mais ricas em botecos de raiz, com o dono e a família toda à frente. Eles criam tira-gostos de raiz, 

usando ingredientes do próprio quintal”, observa Martins.
Em novembro, três bares do Barreiro participarão da primeira edição de verão do Botecar. Além do Zezé, os bares de Minas e do Rei 

farão parte do circuito que agregará, ao todo, 45 estabelecimentos. Um outro boteco da região está sendo sondado para integrar o evento.

Especial Barreiro
Os noivos Jéssica e Rafael apostaram no açaí para se dar bem nos negócios


Sobremesa
Além dos bares e botecos, casas que vendem açaí são bastante frequentadas. Um dos destaques é o Grand Paris Gourmet, no Barreiro de 

Baixo, comandado pelo casal Rafael de Souza Carvalho, 29, e Jéssica Antunes Freitas, 24. 
Por lá, além do tradicional creme, composições mais elaboradas estão no cardápio. O carro-chefe leva o nome do estabelecimento e é 

feito com açaí, leite em pó, leite condensado, sorvete e Ovomaltine. “Em muitos lugares você encontra açaí, mas nossa proposta é 

oferecer diferenciais, como cardápio variado e ambiente bem agradável”, frisa Jéssica.