A Praça Domingos Gatti, no Barreiro de Baixo, vai se transformar amanhã em um “grande restaurante” aberto. Promovido pelo Santuário São Paulo da Cruz, uma das comunidades religiosas mais tradicionais da região, o Almoço na Praça reúne milhares de famílias e faz parte da festa do padroeiro que dá nome à capela. Os festejos começaram segunda-feira e seguem até dia 19. 

Doze barracas serão montadas na praça. O que for arrecadado com a venda das delícias típicas, como tropeiro e macarrão na chapa, será revertido em prol do santuário. Os preços dos pratos vão variar de R$ 10 a R$ 12. A expectativa é a de que 5 mil pessoas participem. 

Um dos destaques da festa, de acordo com o reitor do Santuário São Paulo da Cruz, padre Alex Antônio Favarato, é o envolvimento das famílias e das empresas da região. São elas as responsáveis pelas barracas. “O santuário está bem integrado à atividade econômica do Barreiro e tem laços fortes com os moradores”.

A novena em devoção a São Paulo da Cruz foi iniciada na segunda-feira, com missas diárias. “São momentos de devoção e de confraternização entre os fiéis”, complementa o padre Alex.

História

A comunidade São Paulo da Cruz chegou ao Barreiro com os religiosos da Congregação da Paixão de Jesus Cristo, também conhecida como Passionistas, na década de 1950. Em 1961, eles começaram a construir a matriz São Paulo da Cruz, elevada a santuário há 13 anos. 

“Somos ponto de peregrinação. Semanalmente, cerca de 6 mil pessoas passam pelo santuário. Isso, inclusive, demonstra a importância de eventos beneficentes. Com o dinheiro arrecadado, conseguimos fazer obras para melhor acolher os fiéis”, observa o reitor do São Paulo da Cruz.

Padre Alex Antônio também destaca que a chegada dos Passionistas à região não ficou restrita à evangelização. “Eles também vieram formar pessoas. Não havia uma escola por aqui e os religiosos abriram a primeira”.

O Colégio São Paulo da Cruz foi fundado em 1962, inicialmente como um jardim de infância. No ano seguinte, foi implantado o primeiro grau – hoje ensino fundamental. O ensino médio – antigo segundo grau – passou a ser oferecido em 1982.