Ouvir música é uma experiência relaxante. Mas existe um tipo de som que promete ir além do simples entretenimento: potencializa a aprendizagem, favorece o sono, aprofunda a meditação, libera endorfina e, portanto, relaxa profundamente, controla a ansiedade e melhora a concentração. Isso para encurtar a lista de benefícios. 

Há alguns anos era necessário comprar pacotes com os áudios –que devem ser ouvidos com fones, de preferência estéreo. Agora, as chamadas batidas ou sons binaurais são facilmente encontrados no Youtube, cada um com uma finalidade diferente, como equilibrar a energia dos chákras ou “reprogramar” a mente com afirmações positivas para superar crenças negativas

O som capaz de alterar o comportamento do cérebro foi descoberto em 1839 pelo cientista alemão Heinrich Wilhelm Dove. Ele descobriu que quando os sinais de duas frequências diferentes são apresentados separadamente – um para cada ouvido – o cérebro detecta a variação de fase e tenta conciliar essa diferença sincronizando o funcionamento dos hemisférios esquerdo e direito. Isso resultaria em ganhos terapêuticos.

Em 1973, pesquisa publicada pelo biofísico Gerald Oster no Hospital Monte Sinai, em Nova York, usou as batidas para comprovar que a estimulação auditiva melhorava o funcionamento do cérebro. 

Profissionais que aplicam o método e relatos de “usuários” na internet dão conta de que os áudios têm o poder de acessar o subconsciente humano. As combinações das batidas e ruídos seriam capazes de causar frenesis cerebrais ou aquietar a mente por completo, desencadeando um sono profundo.

No campo acadêmico, porém, o método divide opiniões, conforme explica a fonoaudióloga Maura Lígia Sanchez, coordenadora e professora de processamento auditivo central no Centros de Especialização em Fonoaudiologia Clínica (Cefac), em São Paulo. 

“Não há dúvida de que a música relaxa e isso independe de pesquisa. Alguns estudos apontam mudanças importantes desencadeadas por esses sons, mas não é nada grande. Aprendemos a falar, ler e escrever com os hemisférios trabalhando não sincronizados. Logo, se são necessárias batidas para sincronizá-los é para uma finalidade diferente da que fazemos sem que isso aconteça”, afirma.

Sons binaurais
INFLUÊNCIA - Ruídos emitidos levariam à sincronia dos dois hemisférios cerebrais

Além disso

O cérebro influencia diretamente o estado da mente. Definidas pela frequência com que pulsam, as ondas cerebrais são correntes que fluem pelas ligações neurais, conforme explica o neurologista e neurofisiologista clínico Luís Caboclo, presidente da Sociedade Brasileira de Neurofisiologia Clínica (SBNC).

Delta: são as mais lentas e estão associadas ao sono profundo. É o reino do inconsciente.
Theta: entre 3 e 7 Hz. Presentes na meditação profunda e sono leve. Reino do subconsciente.
Alfa: entre 8 e 13 Hz. Ligadas à tranquilidade e relaxamento com olhos fechados e repouso sensorial. Acessadas durante a meditação.
Beta: as mais rápidas. Estão associadas ao estado de vigília, à lógica e ao raciocínio. 

Confira alguns sons binaurais:

- Frequência do amor

 

- Felicidade, sucesso e crescimento espiritual

 

- Atrair o amor

 

- Remover bloqueios subsconscientes