Ilma Correa voltava para Belo Horizonte após mais uma viagem à fazenda, em Capim Branco, na Grande BH, com o carro carregado dos tesouros que ela planta na propriedade. A encomenda tinha destino certo: o Rullus Buffet, que faz parte de um grupo seleto de clientes que dão um valor imenso ao trabalho que Ilma desenvolve há mais de duas décadas.

Entre os parceiros da Verdes Ilma Correa estão chefs renomados como Felipe Rameh, Fred Trindade, Henrique Gilberto, Marise Rache, Leonardo Paixão, além do Club do Chef, Bouquet Garni e o Supermercado Verdemar. Os cozinheiros se encantam, principalmente, com os mini vegetais cultivados na fazenda, de onde saem também novidades como os brotos e as flores comestíveis. Os ingredientes são cada vez mais utilizados nos pratos apreciados pelos clientes.

O que muita gente não sabe é que eles já brotam há anos na terra tão amada por Ilma. “Os mini se tornaram os queridinhos do momentos, mas já existem há mais de 20 anos”, diz. Ela conta que mini nabos, mini cebolinhas, a batata (bulbo) da erva doce eram ingredientes de pratos preparados com frequência na fazenda. “As pessoas enlouqueciam porque não conheciam. Hoje, os chefs valorizam muito esses produtos”, observa.

A produtora explica que, entre os mini, fazem muito sucesso atualmente o nabo, rabanete, cenourinhas, ervilha, vagem, beringela, rúcula e o agrião. “O mini quiabo é maravilhoso. Ele tem dois centímetros do cabinho até a ponta. A gente come inteiro porque não tem fibra”. Para conseguir vegetais tão pequeninos, Ilma usa sementes próprias. Em alguns casos, eles são colhidos prematuramente.

Na fazenda, toda a plantação é orgânica. Sempre foi assim na propriedade que pertencia aos pais de Ilma e, hoje, é administrada por ela. O controle de pragas é natural. “Como são muitos itens plantados juntos, isso gera o equilíbrio”, conta. Quando há necessidade, ela utiliza o óleo de Nim, um produto extraído de uma árvore que não agride o meio ambiente. A sazonalidade também é respeitada. 

mini vegetaisOs mini são produzidos há 20 anos em Capim Branco

Escola
A alimentação que sempre fez parte do cardápio da família se tornou um negócio sem que houvesse um planejamento prévio. Primeiro, os amigos passaram a fazer encomendas. Depois, durante dez anos, Ilma montou uma feirinha para vender os produtos na casa da mãe, no bairro Cidade Jardim, na capital. Em seguida, foi convidada a integrar a Praça do Mercado, quando o projeto se iniciou no Shopping Diamond Mall. Por lá, ficou 12 anos. E se recorda com saudade do tempo em que, no local, manteve uma espécie de escola para apresentar aos alunos a variedade de vegetais que colhia. “As pessoas aprenderam a comer isso. Foi muito gratificante e o retorno era enorme. Todos saíam felizes, revigorados, corados de tanta coisa boa que comiam”, lembra. 

O trabalho no campo é puxado, mas prazeroso. Ilma faz questão de ressaltar que é fazendeira, passou a vida convivendo com a natureza e que veio nesse plano para fazer exatamente o que tem feito. Para ela, respeitar o meio ambiente se tornou parte de uma missão. Valores que ela cultiva na vida e compartilha com tanta gente por meio dos produtos que colhe.