Métodos autocompositivos são uma oportunidade para a carreira jurídica

Advogado Moderno / 14/12/2017 - 06h00

Olá amiga e amigo advogado, tudo bem?

Não é novidade para ninguém que o Judiciário anda abarrotado de casos jurídicos. Com sobrecarga de incontáveis processos diferentes, muitas vezes a Justiça é incapaz de atender com agilidade às infinitas demandas dos cidadãos brasileiros, que muitas vezes são obrigados a assistir seus casos arrastarem-se por anos a fio na Justiça.

Claro, a máxima diz que “a Justiça tarda, mas não falha”. Nesta semana, já tivemos o exemplo do ressarcimento aos poupadores que sofreram perdas com os sucessivos planos econômicos do final dos anos 80 e início dos 90 no Brasil, como o plano Bresser (1987), Verão (1989) e Collor 2 (1991). Mesmo assim, na maioria dos casos, as pessoas possuem um pouco mais de pressa para encontrarem uma resolução para seus problemas.

Assim, como conciliar este desejo por Justiça dos cidadãos e a morosidade do Judiciário em resolvê-las? É relativamente simples: muitos problemas que hoje, em tese, seriam levados aos tribunais e lá ficariam “juntando poeira” poderiam ser resolvidos com muito mais celeridade fora do âmbito judicial.

Isso pode parecer curioso, mas muitos dos casos que, na Justiça, levariam um bom tempo para serem solucionados, podem ser resolvidos  basicamente com um acordo entre as partes, mediado por um terceiro. Claro, existem muitos casos em que o Poder Judiciário é de fato o canal mais indicado para o problema em questão. Mas em outros, de menor complexidade, muitas vezes um acordo pode resolver a questão com muito mais celeridade.

E se os cidadãos podem se ver livres de “dores de cabeça” com muito mais rapidez, os advogados que se prepararem para trabalhar com solução consensual de conflitos, por sua vez, podem receber uma interessante oportunidade em sua carreira. Afinal, estarão adentrando num nicho promissor do mercado jurídico que pode render novos negócios e clientes em potencial.

Este é o tema da nova série que lançamos ontem, 13/12, no Juris Mentoring. Nosso novo mentor, Márcio Santos Vieira, é advogado com uma experiência de mais de 20 anos em processos de negociação, gestão de pessoas e gestão de contencioso judicial. Ele irá  explicar em quatro vídeos (lançados semanalmente) sobre métodos autocompositivos e como o profissional pode se especializar nessa área. Como o próprio Márcio acredita, o(a) advogado(a) que capacitar-se em tais métodos poderá ter um diferencial muito importante no mercado de trabalho.

Afinal, com o Judiciário lotado, dominar os métodos autocompositivos aos poucos passa a ser uma habilidade que o profissional contemporâneo precisa aprender.

Interessou-se? Então acesse o canal do Juris no YouTube para conferir a nova série e as anteriores do Juris Mentoring! Basta copiar e colar o seguinte link em seu navegador: bit.ly/JurisnoYouTube. 

Abraços e até a próxima!

 

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários