Retrospectiva 2017: Um ano de mudanças para o Juris - Parte 2

Advogado Moderno / 11/01/2018 - 06h00

Olá amiga e amigo advogado, tudo bem?

Na semana passada, fiz a primeira parte aqui da retrospectiva do Juris em 2017, abordando principalmente nossos bem-sucedidos lançamentos de nosso canal no YouTube, com o programa Juris Mentoring, e da nova versão de nossa plataforma.

Para esta segunda parte de nossa retrospectiva, eu gostaria de abordar a ampla e diversificada gama de parceiros que conseguimos reunir durante o ano. Afinal, ao longo de 2017, nós aproximamos e fomos aproximados por profissionais distintos e renomados, dispostos a construir uma parceria que trouxesse benefícios mútuos a nós, a eles e, claro, aos nossos clientes.

Afinal, foi com a ajuda deles que, em 2017, o Juris, além do serviço de advocacia correspondente, passou a oferecer também conhecimento e conteúdo interessante aos profissionais jurídicos do país.

Falo de pessoas como Maria Fernanda Torrano, nossa primeira mentora no Juris Mentoring, que, através de seu projeto Correspondente Alta Performance, tem nos ajudado a elucidar as dúvidas mais frequentes de nossos assinantes. De Leandro Nascimento, no IbiJus, sempre com algum curso interessante e relevante para oferecer aos profissionais jurídicos que nos acompanham. De Alfredo Freitas, nosso parceiro na Ambra College, que gentilmente nos indicou o prof. Felipe Asensi, que abordou a temática do empreendedorismo no Direito no Juris Mentoring. De José de Andrade e Márcio Santos, que se dispuseram a compartilhar com nossa base também via Mentoring seus conhecimentos sobre como o advogado deve se portar em audiências e métodos autocompositivos, respectivamente. 

Também não poderia deixar de abordar nossos novos amigos do Órbi, que nos receberam de braços abertos em seu recém-inaugurado complexo em Belo Horizonte/MG, destinado a abrigar as melhores start-ups do San Pedro Valley (para mais informações, leia meu texto “Um novo capítulo na história do Juris começou”, publicado aqui no Hoje em Dia em 23/11/2017).

Finalmente, também não poderia deixar de abordar a criação da Associação Brasileira de Lawtechs e Legaltechs – a AB2L, que nos trouxe novos amigos e abriu um mundo de possibilidades não apenas para o Juris, como também para todas as empresas de tecnologia voltadas para a área jurídica de um modo geral. Com a AB2L, nossas empresas agora poderiam se unir em torno da bandeira da modernização do Direito e, assim, seriam mais fortes juntas para defendê-la. Como diz o ditado, “a união faz a força”.

É uma honra estar entre os fundadores da Associação, estando em meio a outros empresários de legaltechs. Em 2018, a AB2L continuará firme e forte em sua caminhada rumo a uma advocacia mais moderna.
Abraços e até a próxima!

 

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários