Alimentação, Meio Ambiente e Sustentabilidade

Opinião / 12/10/2017 - 06h00

Laila Carline Gonçalves Rezende* 

A correlação entre alimentação e saúde é bem conhecida e divulgada. Pouco se comenta, porém, sobre a grande relação entre nossa alimentação e o meio ambiente.

Segundo dados da Organização das Nações Unidas para Agricultura e a Alimentação (FAO, na sigla em inglês), cerca de um terço dos alimentos produzidos no mundo são desperdiçados em alguma das etapas de produção, transporte, venda ou após chegar ao consumidor. Além do prejuízo humano incalculável (estes alimentos poderiam alimentar quem passa fome), há um prejuízo ambiental em grande escala.

Estima-se que os alimentos desperdiçados no mundo correspondam à emissão de 3,3 bilhões de toneladas de dióxido de carbono por ano. Se fosse um país, seria o terceiro maior poluidor do mundo, ficando atrás apenas da China e dos Estados Unidos. Uma grande parte do desmatamento da Amazônica ocorre para abrir espaço para agricultura e criação de gado para alimentação humana e uma quantidade monumental de água é usada todos os dias nas diversas etapas de produção dos alimentos. O desperdício consome cerca de 250 quilômetros cúbicos de água, o equivalente à vazão anual do rio Volga, o maior rio em comprimento da Europa. 

Ao jogar fora algum alimento, estamos jogando fora toda cadeia produtiva do mesmo, o trabalho de inúmeras pessoas, toda água utilizada na sua produção, todos os gases tóxicos para o meio ambiente produzidos. Enfim, jogando fora os recursos naturais cada vez mais escassos do planeta Terra.

Nos países desenvolvidos, grande parte do desperdício vem de consumidores que compram mais do que precisam e jogam fora o que não consomem. Nos países em desenvolvimento o desperdício vem principalmente de problemas na cadeia produtiva dos alimentos, onde há perdas no campo, nas instalações de armazenamento e transporte ineficientes, além da perda nos locais de venda e também após chegar ao consumidor. 

A melhor gestão da cadeia produtiva dos alimentos, com investimento em colheita, transporte e armazenamento adequado, além de embalagens que evitem perdas, podem auxiliar na resolução do problema. Cada pessoa, porém, pode fazer sua parte diminuindo o desperdício na sua própria casa, fazendo uma melhor gestão da compra e utilização de alimentos. 
Nas faculdades Kennedy e Promove trabalhamos a questão da sustentabilidade na alimentação nos cursos de Nutrição e Gastronomia, certos que estamos formando profissionais com o diferencial da consciência ambiental ligada à alimentação, e que esta conexão do alimento com meio ambiente não só crescerá nas próximas décadas, como será fundamental em um futuro próximo. 

(*) Professora de Nutrição e Gastronomia das Faculdades Kennedy e Promove 

 

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários