As sementes da esperança

Opinião / 04/10/2017 - 06h00

Zé Silva*

Muitas das minhas ações de parlamentar são frutos da minha vivência no campo, eu que nasci numa comunidade rural e ali trabalhei até uma boa parte da minha juventude. Também dessa vivência vieram muita da minha visão de mundo nas gestões públicas de que participei, seja na presidência da Emater-MG ou nas secretarias de Trabalho e de Agricultura de Minas. 

Digo isso porque estou nesse momento vivendo uma conquista muito importante do meu trabalho na área pública, com a chegada de sementes de milho e de feijão para milhares de agricultores familiares em todo o estado. Desde minha gestão na Emater, entendemos que insumos e outros apoios de fomento são de fundamental importância para o desenvolvimento rural sustentável. 

E esses insumos, por mais simples que possam ser, como as sementes, representam muito mais que o seu valor econômico. Representam, sobretudo, um compromisso de solidariedade humana, e criam oportunidades para a assistência técnica e ações organizacionais entre as famílias do campo. Além, é claro, de sua importância para a promoção da segurança alimentar e a geração de trabalho e renda no meio rural.

Assim, ao longo do tempo, temos estabelecido parceria com a Emater nesses trabalhos de fomento para a agricultura familiar. Trabalhos que alavancamos, seja com recursos de emenda parlamentar, como em anos anteriores, ou com ações de gestão parlamentar, como fizemos neste ano junto à Secretaria de Desenvolvimento Agrário, e com isso conquistamos mais de R$ 5 milhões em sementes para a agricultura familiar de Minas. 

Como as coisas mudam, felizmente, vale a pena lembrar que esse trabalho e esforço para estruturar ações e recursos de fomento para a agricultura familiar não era bem-visto em alguns setores de gestão governamental. Hoje, quando os agricultores não mais aceitam projetos que não saem do papel e demandam políticas e recursos de fomento, compreende-se, afinal, que as tecnologias e insumos, por mais simples que sejam, têm um custo elevado e, por vezes, fora das condições financeiras dos agricultores. E então se vê a importância desse apoio. 

Sobre isso, reproduzo aqui um depoimento que recebi de um agricultor familiar e homem público do Norte de Minas, o ex-prefeito de Cônego Marinho, meu amigo Natalino Rodrigues: “Parlamentares e gestores públicos precisam ter  os olhos voltados para as demandas rurais, para que a população do campo seja vista de uma forma que nunca aconteceu antes, vista em toda sua importância para a sociedade”. E é isso que buscamos sempre fazer, com as lições e aprendizados que tivemos com a vivência no meio rural. 

(*) Agrônomo, extensionista rural, deputado federal pelo Solidariedade/MG 
 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários