Bitcoin, bolha ou oportunidade?

Opinião / 29/11/2017 - 06h00

Aroldo Rodrigues*

Quanto mais a cotação do Bitcoin sobe, mais recebo perguntas sobre se é a hora certa para investir na moeda digital. E as perguntas são válidas, afinal, quem não gostaria de investir suas economias em um “ativo” que valorizou 40% nas últimas duas semanas? Em 2009, quando criado, cada Bitcoin custava US$ 0,07.

Atualmente, uma única moeda vale US$ 9.837,00. Nos últimos doze meses a valorização atingiu os incríveis 1.236%. Olhando assim parece não haver dúvida de que é grande uma oportunidade comprar Bitcoins e apostar na sua crescente valorização. Mas porque Bitcoin se valoriza tanto?

O real, dólar e todas as outras moedas tradicionais que conhecemos são reguladas por órgãos de controle, os bancos centrais. Cabe a essas instituições controlar a quantidade que é emitida para manter o equilíbrio entre a oferta e demanda garantindo a manutenção do seu valor. Já no caso do Bitcoin, a moeda é virtual e não é emitida por nenhum governo, nem possui um órgão regulador. Essa falta de regulação provoca as grandes oscilações na cotação da moeda, com picos e vales que tomam proporções inesperadas.

A instabilidade e valorização exponencial, cada vez mais presente na cotação do Bitcoin são comportamentos característicos de bolhas financeiras. Outro ponto que me faz crer que estamos diante de uma bolha é que em sua grande maioria, os compradores de Bitcoins tem como único objetivo a especulação. Cada vez é mais raro usuários que compram Bitcoin para utiliza-lo como forma de pagamento. A moeda passou a ter como função principal sua valorização e não servir de instrumento de troca. Mas, afinal, como provoca o título, o Bitcoin é bolha ou oportunidade?

Acredito que os dois. Bolha, pelos argumentos que já citei, mas o que não o torna menos oportuno. A questão é: até quando irá essa valorização? Por “n” motivos já se sabe que não é sustentável, mas até checar em seu ponto de “estouro” a moeda pode ser fonte de bons rendimentos. Aconselho aos que querem se aventurar nesta seara, que aloquem pequenas parcelas de seus recursos nesta modalidade. E que fiquem atentos ao ponto ideal de saída, pois quando há um movimento de queda, todos querem sair ao mesmo tempo, causando uma desvalorização repentina com perdas relevantes de valor.
*Economista

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários