O sapo, a panela e a inovação

Opinião / 16/05/2017 - 06h00

Mauro Condé*

Se você colocar um sapo numa panela com água fria e a aquecer gradualmente, o sapo não perceberá a água esquentar e poderá até morrer inchado por causa disso. Agora se você jogar um sapo diretamente dentro de uma panela com água fervendo ele saltará imediatamente para fora da panela, meio chamuscado, porém, vivo.

Os seres humanos e as empresas, muitas vezes se comportam como sapos fervidos e não percebem as mudanças a que são expostos, por adorarem a estabilidade. O incrível é que para a sobrevivência nos dias de hoje nada pode ser estável –tudo tem que estar em constante mudança, num alvoroço frequente.

O fenômeno que mais evidencia a repetição da história do sapo fervido na panela atende pelo nome de Inovação. Existem dois tipos de inovação, a incremental e a radical.

Empresas que praticam a inovação incremental acabam se instalando em panelas de água fria para serem fervidas lentamente até serem destruídas. Elas se contentam com pequenas melhorias incrementais em seus produtos e serviços (mudanças cosméticas num modelo, numa versão, num projeto, num acessório, numa embalagem).

Elas gostam e praticam a inovação incremental porque ela é feita sem muitos riscos, de forma planejada e geralmente com sucesso e sem dor de cabeça.

Até que aparecem as pequenas e ágeis empresas praticando a Inovação radical e destruindo grandes e lentas empresas estabilizadas ao redor do risco zero.

Para ser praticante da Inovação Radical, uma empresa precisa fazer algo totalmente novo, não pensado até então, diferente e muito melhor do que existia antes.

Uma inovação radical nunca surge dentro de uma grande empresa super estabelecida e estabilizada. A história está cheia de exemplos disto – quem inventou o computador não foi uma empresa fabricante de máquinas de escrever.

A Netflix inovou radicalmente e engoliu a Blockbuster.  O Whatsapp virou o meio mais rápido de troca de mensagens que há pouco mais de um século só podiam ser transmitidas por mensageiros a cavalo, se revezando depois de uma certa distância. O Uber está ameaçando a indústria automobilística e de transportes de passageiros como ninguém tinha pensado antes. Pense nisto e desenvolva um ódio mortal pela estabilidade. Seja amante da Inovação Radical como forma de sobrevivência pessoal e profissional.

(*) Palestrante, consultor e fundador do blog do Maluco.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários