OBRIGADO, DORNELLES!

Opinião / 10/04/2018 - 06h00

*Aristóteles Drummond


No final do ano, termina o mandato de vice-governador do Rio de Janeiro, Francisco Dornelles, um político de dedicação integral ao serviço público. Além de ser presença constante ao lado dos eleitores e dos prefeitos que sempre lhe garantiram excelentes votações em todo o estado.

Dornelles tem mais de meio século de ininterrupta atuação, tendo começado como secretário particular de seu tio, Tancredo Neves, quando este foi primeiro-ministro. Notabilizou-se no Ministério da Fazenda, do qual foi titular, onde ocupou os mais altos cargos.

inistro de Estado por três vezes, na Fazenda, Indústria e Comércio e Trabalho, cumpriu seis mandatos de deputado federal e um de senador, presidente de partido, constituinte destacado na defesa de teses reconhecidas como as mais corretas para o desenvolvimento do Brasil. 

Homem com o sentido das responsabilidades da vida pública exerceu o governo estadual quando o governador se afastou por motivo de doença. E sempre coerente com os ensinamentos éticos recebidos de seu pai, oficial general do Exército do Brasil. 

m ano eleitoral, em que não é candidato, seu exemplo deve ser realçado como prova aos eleitores, aos mais jovens em especial, que nossa vida pública não tem sido exercida apenas pelos que aparecem no noticiário em função de malfeitos. Temos muitos exemplos de bons políticos, parlamentares que merecem permanecer na vida pública, contrariando movimento equivocado no sentido de estimular o voto nos novatos. Sem prejuízo da renovação, que é sempre saudável, não se pode dispensar a experiência e os serviços prestados pelos que vêm honrando o mandato. A esta altura Dornelles não precisa de mandato para atuar, bastando sua liderança no PP do Rio e a forte influencia no Diretório Nacional que comandou com sucesso. Não vamos perder esta voz da experiência e da objetividade em dar prioridade ao que de fato interessa ao povo e ao país. O Rio tem sofrido perdas, mas tem um núcleo que paira acima das tempestades, pela prudência no exercício da vida publica. 

Moderação e bom senso devem de prevalecer. Obrigado Dornelles !

*Jornalista e escritor

 

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários