Quando a vocação é não ter vocação

Opinião / 08/05/2018 - 06h00

Mauro Condé*

No interior de São Francisco, Estados Unidos, vive um sujeito que já nasceu com uma incrível vocação – ele queria ser bombeiro desde bebezinho. Sua determinação lhe causou problemas ao longo da vida, incluindo a rejeição dos pais e a humilhação de um professor do ensino médio que o ridicularizava em público pelo fato de ele ter escolhido ser bombeiro em vez de médico, advogado ou engenheiro. Devido ao bullyng e à humilhação, decidiu sair da escola e se inscrever no Corpo de Bombeiros, onde acabou aceito.

Anos depois, já como bombeiro experiente, ele foi chamado para atender uma ocorrência urgente e grave – uma pessoa estava gravemente ferida dentro de um carro destroçado e em chamas após uma batida de carro.

Corajosamente ele enfrentou o fogo e o perigo e conseguiu retirar o motorista do meio das ferragens e, após um bem sucedido procedimento de reanimação cardíaca, ele descobriu uma coisa incrível. Sem querer, tinha acabado de salvar a vida do professor que era contra ele ser bombeiro. Doce ironia do destino. Esse bombeiro faz parte de um grupo seleto de pessoas que já nasce sabendo o que deseja ser na vida desde pequeno, já nasce com a vocação no sangue.
Porém, recentes pesquisas científicas revelam que um segundo grupo de pessoas (que não demonstram vocação para uma área específica) podem sem saber estar seguindo uma nova vocação, batizada com o nome de Multipotencialidade.

A vocação para a multipotencialidade é percebida naqueles mais generalistas do que especialistas, que ao invés de se especializar num tema e saber muito de pouco, resolvem navegar entre diferentes especialidades e optam por saber um pouco de quase tudo. E por incrível que pareça, esses generalistas mulitpotenciais têm tanto valor quanto os especialistas.

No moderno mundo da tecnologia, da computação, da robótica e da inteligência artificial, as habilidades mais necessárias são: o poder de síntese, a capacidade de aprendizado rápido e a adaptabilidade, três das características mais marcantes dos multipotenciais. Portanto, se você não tiver encontrado sua vocação específica, não se preocupe. Você certamente é um multipotencial, cuja curiosidade e intensidade podem ajudar a fazer um mundo melhor.


*Palestrante, consultor e fundador do Blog do Maluco
 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários