Travessia

Opinião / 17/03/2017 - 06h00

Ronalte Vicente*

O projeto Trampolim, do Minas Pela Paz, promove a inserção profissional de adolescentes em cumprimento de medida socioeducativa e egressos. O foco na educação e no trabalho propicia qualificação, renda e redução do envolvimento com a criminalidade.  A articulação feita pelo Minas Pela Paz com o poder público e entidades profissionalizantes, como o SENAI, tem possibilitado a muitos adolescentes diferentes perspectivas de vida. 

Valentino tem 17 anos e cumpriu, até dezembro de 2016, medida socioeducativa de internação na unidade socioeducativa do Barreiro, em Belo Horizonte. Em junho do mesmo ano, pelo projeto Trampolim, ele foi inserido no programa de aprendizagem industrial do SENAI na área de metalmecânica. Além da qualificação profissional, Valentino tem sua carteira de trabalho assinada como aprendiz, o que lhe garante salário e benefícios. Hoje, completamente integrado ao SENAI e reintegrado à sociedade, ele é destaque entre os alunos. “A gente sabe do preconceito, mas aqui fui acolhido pelos colegas, pelo professor e pelas meninas da pedagogia”.

Valentino conta que no começo do curso sua maior dificuldade era lidar com a liberdade, pois ele ia e voltava sozinho da unidade socioeducativa para o SENAI. “Sempre pensava em fugir e ir para casa, mas lembrava da oportunidade que eu estava tendo, do esforço que todos fizeram para me ajudar e desistia de fugir”. Nós chamamos isso de responsabilização.

Hoje, Valentino consegue dizer o quanto o Trampolim mudou a sua vida e como o trabalho lhe possibilita planejar novos capítulos para a sua própria história. “Quando eu visto a camisa do SENAI eu fico com cara de trabalhador, eu vejo que eu tenho futuro, eu me sinto mais seguro” afirma. Atualmente, ele reside com dois amigos, com quem divide as despesas de casa. “Dá para pagar as contas e ainda sobra para eu comprar minhas coisas, como esse tênis aqui”. 
O nome do Valentino é fictício, mas sua trajetória é verdadeira; é exemplo de que oportunidade e acesso, de fato, ao trabalho formal, podem descortinar um mundo de sonhos e consequentes realizações, sem prejudicar ninguém.

Está na essência do projeto Trampolim possibilitar aos adolescentes a experiência e a vivência que agrega valor e valores para eles, para nós e para a nossa sociedade.

(*) Coordenador de projetos do Minas Pela Paz

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários