Um novo dia

Opinião / 02/02/2018 - 06h00

Poderia ser uma manhã de quinta-feira como todas as outras. Mas não foi. Foi diferente para 20 jovens que cumprem medida socioeducativa na Casa de Semiliberdade Ipiranga, região norte de Belo Horizonte.

A semiliberdade é uma das medidas socioeducativas aplicadas aos jovens que cometem atos infracionais, onde passam parte de seu tempo reclusos e outra parte do tempo em liberdade, com atividades de estudo, trabalho, convívio familiar e social.

No mês de janeiro, por ser período de férias escolares, os jovens passam mais tempo na Casa de Semiliberdade e para ocupá-los produtivamente, os técnicos da unidade Ipiranga prepararam a Semana das Profissões, um momento para demonstrar a importância do trabalho e as alternativas de inserção profissional.

Em uma das atividades da Semana das Profissões foi apresentado o Projeto Trampolim, realizado pelo Minas Pela Paz, que oferta aos jovens em cumprimento de medidas socioeducativas oportunidades em programas de aprendizagem, onde eles aliam estudo e trabalho formal protegido. 

Além da explicação do programa, do elenco de cursos disponíveis e dos requisitos para participação, o Minas Pela Paz ressaltou aos jovens os ganhos não econômicos do mundo do trabalho formal: respeito, reconhecimento, autoestima e a possibilidade de realizar um projeto de vida.

Ao longo da palestra foram apresentadas dezenas de fotos de turmas anteriores do projeto Trampolim, demonstrando de forma clara as atividades teóricas e práticas – a maioria delas nas unidades do SENAI – parceiro do Minas Pela Paz no projeto.

A cada foto apresentada se projetava na mente dos jovens um futuro, que viam com os olhos brilhando, outros jovens iniciando sua formação e o aprendizado de novos ofícios. 

Ao ver na tela colegas que, como eles, um dia erraram, mas buscavam um novo caminho, aumentava a certeza de que aquela opção de vida também poderia ser a dele, e com uma nova atitude, ir por uma via de mão única, distante da violência e do crime.

Mesmo depois de tudo isso aquela manhã pode ter sido, para alguns, uma manhã comum de quinta-feira. Para a maioria, sem dúvida, foi o início de um novo caminho.

*Ronalte Vicente
Coordenador de Projetos do Minas Pela Paz

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários