Willy Gonser: o homem que calou o rádio

Álvaro Damião / 29/08/2017 - 06h00

Willy Fritz Gonser, Willy Gonser, Alemão, o narrador mais completo do Brasil, existiam muitas formas de se referir ao mestre, que há uma semana deixou um rastro de saudades.

Willy não era apenas um narrador. Ele fazia com que milhares de torcedores “assistissem” as partidas de futebol pelo rádio! Era capaz de atiçar a imaginação do ouvinte com uma precisão invejável na descrição do lance em uma época em que os jogos não eram transmitidos pela TV.

Quando se fala de Willy Gonser, é impossível não se falar de Copa do Mundo e Atlético. Com 11 Copas do Mundo no currículo, Willy narrou os títulos do Brasil em 1994 e 2002. Foi com a sua voz marcante que o torcedor atleticano comemorou a Conmebol em 1992 e 1997, além da narração do milésimo gol do Atlético no Campeonato Brasileiro. Por ironia do destino, Willy não estava mais nos microfones quando o Galo conquistou o seu maior feito: Libertadores de 2013. Acredito que Deus tenha preparado a situação para ter Willy como torcedor neste momento, afinal sua torcida era imprescindível.

Falar que eu era fã do narrador mais completo do Brasil, é dizer o óbvio. Durante a infância, ainda nos campos de várzea do Concórdia, enquanto os amigos jogavam a famosa pelada, eu ficava na “de fora” narrando o jogo, imitando o Willy. Em 1987, alucinado com o rádio, consegui com um primo o endereço da casa do Willy. Sem pensar duas vezes, fui para a porta da casa dele na esperança que ele saísse de casa e pudéssemos conversar. Depois de quatro horas sentado no meio fio, resolvi bater campainha. Fui atendido pelo filho dele, que me informou que Willy estava na Europa. Com muita tristeza fui embora, sem saber que Deus me reservava a oportunidade de trabalharmos lado a lado, dez anos depois. Em 1997, tive a honra de trabalhar ao lado dele no Manchete Esportiva Minas, na TV Manchete. No mesmo ano, realizei o maior sonho da minha vida: trabalhar na Rádio Itatiaia, à convite de Willy Gonser.Trabalhar com um ídolo foi um período de aprendizado diário. Em todas as conversas que tínhamos, minha gratidão se multiplicava.

No dia 22 de agosto, Alemão nos deixou e com ele se foi a voz que embalou a Massa Alvinegra por anos. Willy, que por muitas vezes deu voz às emoções do torcedor, nos deixou sem voz. O costumeiro silêncio que precedia o gol, será eterno. O microfone está desligado.
Obrigado por tudo, Willy Fritz Gonser!
Obrigado por tudo, Willy Gonser!
Obrigado por tudo, Alemão!

******************************************************************************************

Aproveito a oportunidade para convidar a todos para a Audiência Pública que visa discutir a situação do futebol amador, que será realizada hoje, 19h30, no hall principal da Câmara de Vereadores de Belo Horizonte.
Precisamos buscar soluções concretas para fazer frente à precariedade que o Futebol Amador se encontra!
Vamos juntos nessa causa! Juntos e misturados!

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários