Bancada evangélica quer proibir festas, como Carnaval, perto dos templos

Amália Goulart / 07/03/2018 - 06h00

A bancada evangélica de Belo Horizonte, com apoio de outros vereadores, quer proibir a realização de festas de rua perto dos templos e de hospitais. Projeto de lei encaminhado à Câmara diz que os eventos só poderão receber licenciamento se realizados a uma distância mínima de 200 metros das igrejas e dos hospitais. 
Se o projeto tivesse virado lei e valesse para este ano, vários blocos que desfilaram no Carnaval estariam impedidos de brincar a folia na capital. 

Vinte vereadores assinam a proposta, de autoria de Fernando Borja, o mentor da bancada evangélica na Câmara. 

Caso entre em vigor, a medida vale para qualquer tipo de evento, sendo de pequeno, médio ou grande porte. 

A multa para quem descumprir com a regra pode chegar a até dois anos sem ter direito a um novo licenciamento. O projeto promete ser a nova polêmica no Legislativo de BH. 

“Ao longo de várias oportunidades se verifica que eventos realizados em logradouros públicos e que possuam aglomeração de pessoas, acabam por causar danos e prejuízos a uma série de imóveis situados no entorno. Ao final desses eventos, resta a alguns setores contabilizar os prejuízos causados pelo evento realizado.

Desta fora, o Projeto de Lei visa proteger edificações como hospitais, clínicas, órgãos do poder Judiciário, repartições públicas, imóveis tombados, postos de gasolina, ou templos de qualquer culto, fazendo com que tais locais possam ter integridade mantida”, afirmou o vereador Fernando Borja nas justificativas ao projeto. Detalhe: na proposta apresentada por ele, são citados apenas os templos e hospitais. Repartições públicas, postos de gasolina e outros estabelecimentos ficaram de fora. 

Metrô de Contagem pode sair em março
A extensão do metrô em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, pode ser anunciada ainda em março deste ano. O ministro das Cidades, Alexandre Baldy, desembarca na cidade para anunciar obras de uma avenida sanitária. Nessa ocasião, conforme fontes envolvidas nas negociações, ele deverá informar ao prefeito Alex de Freitas (PSDB) sobre a viabilidade de se dar início ao projeto de expansão.

A prefeitura pleiteia R$ 600 milhões para construir o ramal entre o Eldorado e Bernardo Monteiro. O anúncio do ministro ocorre após pressão de Alex de Freitas, que elegeu o metrô como uma das prioridades da gestão. 

Pré-campanha
No próximo dia 12, o empresário Romeu Zema (Novo) lança a pré-candidatura ao governo de Minas ao lado de João Amoêdo, expoente do partido para a campanha presidencial. O evento será no Porcão. 

Usiminas
A decisão do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, em taxar em 25% o aço importado, terá impacto pequeno nas vendas da Usiminas. Para se ter ideia, no último trimestre do ano passado, dos 15% do total de exportações, apenas 1% foi destinado aos Estados Unidos, conforme o presidente da siderúrgica, Sergio Leite. O temor é o de que haja reflexos no mercado interno. 
 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários