Deputados do PMDB de Minas peitam reforma de Temer

Amália Goulart / 17/03/2017 - 06h33

No dia anterior à divulgação do nome do governador Fernando Pimentel (PT) na tão famosa lista do procurador-geral Rodrigo Janot, deputados do PMDB mineiro mandaram um recado ao presidente Michel Temer, que, por acaso, pertence ao mesmo partido. 

A bancada estadual posicionou-se contra a Proposta de Emenda Constitucional da Previdência. Classificou a medida de “açodada”. “Concordam os deputados que, no momento em que a PEC nº 287/2016 avança sobre os direitos sociais e os desgasta, não poderia a bancada mineira do partido na ALMG eximir-se do dever de recordar os princípios fundamentais do partido e exigir a abertura de ampla discussão sobre a real situação da Previdência Social”, diz trecho do comunicado. 
Os deputados estaduais mineiros não possuem atribuição para legislar em causa federal. Mas querem demonstrar força política e coesão, apoio ao governador Fernando Pimentel. A nota veio justamente no momento em que o governador sofre novo baque, com a divulgação da lista de Janot. 

Os deputados do PMDB demonstram que não tem qualquer tipo de ligação com Michel Temer, apesar de fazerem parte de um mesmo partido. Ao contrário, estão alinhadíssimos com os petistas, rivais de Temer no plano federal. 

A nota ainda aumenta as tensões na legenda. Um grupo pequeno de deputados federais faz parte da base do presidente e não dá respaldo ao governo Pimentel. Eles tem no vice-governador, Antonio Andrade, o maior expoente. 

Usiminas
Prefeitos do Vale do Aço dizem que 1,5 milhão de habitantes foram afetados pela perda de investimentos da Usiminas, decorrente da briga acionária e da crise econômica. Eles encaminharam uma carta ao Tribunal de Justiça de Minas Gerais pedindo o julgamento de uma ação que, por meio de liminar, destituiu o presidente da empresa, Sérgio Leite, e reconduziu Rômel Erwin de Souza. 

Na disputa, estão o conglomerado japonês Nippon Steel e o grupo ítalo-argentino Techint.

“Esse imbróglio, iniciado em 2014, aliado à forte crise da indústria e à retração da economia nacional, interrompeu importantes projetos e investimentos previstos para a expansão dos negócios da siderúrgica. Ressalta-se que, neste período, o fluxo de caixa livre ‘não-positivo’ da empresa tem tido reflexos sociais negativos diretos e indiretos na vida dos moradores dos 86 municípios do Vale do Aço e Leste Mineiro, atingindo mais de 1,5 milhão de habitantes. As lideranças subscritoras reiteram a Vossa Excelência protestos de elevada estima, dileta consideração e acreditam que esse respeitável Tribunal de Justiça envidará todos os esforços para abreviar o tempo de apreciação do referido processo”, dizem os prefeitos que integram a Associação dos Municípios do Vale do Aço.

Tá caro
O Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado de Minas Gerais (Sinduscon-MG) divulgou ontem o custo unitário de construção. O indicador registrou, em fevereiro, alta de 4,10% na comparação com o mês anterior. 

Para o Sinduscon-MG o maior aumento do indicador de custo da construção no mês foi devido ao incremento da mão de obra.
 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários