Perrella quer Cruzeiro para sair da política

Amália Goulart / 04/11/2017 - 06h00

O último movimento político do senador Zezé Perrella (PMDB) revela a tentativa de voltar ao Cruzeiro e distanciar-se da política. Aliados do senador dizem que o retorno ao Clube esconde o fim da carreira política. Recentemente Perrella conversou com aliados sobre a possibilidade de disputar um cargo nas eleições de 2018 em outro partido. Mas acabou desistindo da ideia, muito estimulado pela situação do colega e padrinho político, senador Aécio Neves (PSDB).

Por isso, articulou para presidir o Conselho do Cruzeiro. Apostou alto. Jogou as fichas na seara que já conhecia e ganhou. Quando todos pensavam que ele era desafeto do presidente eleito do Cruzeiro, Wagner Pires, eis que consegue um bom acordo com ele. Além de presidir o Conselho, vai indicar grande parte dos colaboradores. Se Perrella não teve sucesso na política, o mesmo não se pode dizer do futebol.

Ajuda de R$ 4 bilhões
Prefeitos mineiros querem pressionar o governo do presidente Michel Temer a aprovar um programa de ajuda financeira aos municípios no valor de R$ 4 bilhões. Para isso, irão reunir-se com a bancada federal mineira, na próxima segunda-feira. A ideia é ter os parlamentares mineiros na linha de frente. Como o próximo ano é eleitoral, o interesse é mútuo. Cerca de 250 prefeitos já confirmaram presença no encontro com a bancada.

Prefeitos vão reunir-se com a bancada federal mineira, na próxima segunda-feira

No último dia 20 de outubro, o presidente da Associação Mineira de Municípios (AMM), Julvan Lacerda, encaminhou ofício ao presidente Michel Temer pedindo a aprovação do programa de ajuda. Alegou a queda em repasses para áreas prioritárias. Disse que a saúde municipal sofre com os efeitos da recessão e a concentração de impostos. Lacerda não obteve resposta. Por isso, quer mobilizar os prefeitos.
Dentre as reivindicações, também está a Proposta de Emenda Constitucional 29, que altera o artigo 159 da Constituição para disciplinar a distribuição de recursos, pela União, ao Fundo de Participação de Municípios (FPM).

Só um
Apenas um brasileiro figura no ranking dos melhores CEO’s (ou presidentes de companhias) do mundo em 2017. Ricardo Alves Vale, que comanda o grupo de concessões CCR, é o 38º na lista. O ranking é divulgado anualmente pela revista Harvard Business Review. Não faltam CEO’s dos Estados Unidos, Reino Unido e Bélgica. Na América Latina, além de Vale, aparece na 29ª colocação Paolo Rocca, da Tenaris, que pertence ao grupo Techint, mesmo da Ternium, acionista majoritário da Usiminas.

O melhor CEO do mundo é o espanhol Pablo Isla da Inditex. Na segunda colocação está Martin Sorrell da WPP. Ele é do Reino Unido e é seguido pelo americano Jensen Huang, da NVIDIA.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários