PP é fiel da balança para oposição na corrida pelo Palácio da Liberdade

Amália Goulart / 28/04/2018 - 06h00

O senador Antonio Anastasia (PSDB) e o deputado federal Rodrigo Pacheco (DEM) disputam a mesma base partidária para a campanha eleitoral pelo governo de Minas. Na disputa, a noiva mais cobiçada é o Partido Progressista, ou Progressistas, como gostam de ser chamados.

Antes de Anastasia decidir sair candidato, os progressistas avalizaram apoio a Pacheco, o que gerou cisão na legenda culminando na saída de Dinis Pinheiro e Alberto Pinto Coelho. 

Aliás, Dinis e Pacheco andam aparando as arestas, esse primeiro recém-ingresso no Solidariedade. 

Voltando ao PP, com a entrada em cena do senador tucano, parte do partido agora quer rever o apoio a Pacheco. É a disputa mais acirrada, no momento, no bloco que faz oposição ao governador Fernando Pimentel (PT). Isso porque o PP tem muita capilaridade e garantiria um bom tempo de televisão aos pré-candidatos. É o segundo maior partido tanto para Pacheco quanto para Anastasia.

Está aí também um dos motivos da reunião entre Dinis e Rodrigo Pacheco. O ex-deputado tem parentes filiados ao PP e ainda ascensão sobre integrantes da sigla. 
Fica cada vez mais claro que a oposição irá fragmentada para as eleições. Está reduzida a possibilidade de Rodrigo desistir. E aliados de Anastasia garantem que ele já articula a campanha. 

Como a situação está sem rumo, poderemos ter uma campanha das mais pulverizadas. O MDB decide na próxima terça-feira se lança Adalclever Lopes ao Palácio da Liberdade. Correligionários disseram que a hipótese nunca esteve tão perto de se concretizar.


Resposta


Deputados estaduais informaram, sob a condição de anonimato, que a abertura de processo de impeachment contra Fernando Pimentel (PT) pegou bem junto às bases. “Recebi várias ligações de prefeitos parabenizando a Assembleia. Por onde andamos, ouvimos queixas deles, do atraso de recursos”, afirmou. Nesse feriado, muitos dos parlamentares vão justamente para as bases, ocasião em que colherão a percepção dos aliados. Lembrando que todos eles estão interessados no pleito eleitoral que se avizinha.
Já parlamentares do PT acreditam que a medida não passa de uma ameaça, que não vai para frente.

Copa? Que Copa?

Pesquisa do Instituto Paraná revelou que apenas um terço dos brasileiros está interessado no Mundial de futebol que começa em junho. Foram 65,8% os que responderam ter pouco ou nenhum interesse. Por outro lado, 63,7% acreditam que a Seleção Brasileira é a favorita para levar o título.

O melhor técnico para a seleção? Conforme 75,9% dos brasileiros é mesmo Tite. Foram entrevistadas 2.948 pessoas em 185 municípios de todos os estados entre os dias 24 e 25 de abril.



 

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários