Usiminas contrata 520 em Minas

Amália Goulart / 03/11/2017 - 06h00

A Usiminas comemora 55 anos de atuação com boa notícia para o mercado de trabalho. Realizou a contratação de cerca de 400 profissionais em Ipatinga para a reforma do alto-forno 1, que volta a operar em abril de 2018. São trabalhadores temporários. A reforma começou em julho.

Conforme a diretoria da empresa, há a perspectiva de contratar outros 120 funcionários. Desta vez, trabalho permanente. É que, quando o alto-forno 1 voltar a operar, será preciso expandir o quadro de trabalhadores.

Em Cubatão (SP), serão contratados 500 funcionários para o Hospital Municipal de Cubatão. A Fundação São Francisco Xavier, braço social da Usiminas, assumiu a gestão do empreendimento.

Depois de um início de ano conturbado, devido à disputa entre acionistas, a empresa comemora bons resultados, como os do segundo e terceiro trimestres. Agora, irá antecipar o pagamento de parte da dívida de cerca R$ 6,9 bilhões. Conforme o presidente da companhia, Sergio Leite, a Usiminas irá quitar US$ 90 milhões em dezembro e US$ 180 milhões em janeiro da dívida que vence em 2019.

De um grupo de cinco empresas, a Usiminas Mecânica é a única com resultados ainda fracos. Em função do mercado em que atua, opera hoje com utilização de capacidade instalada de apenas 15%. Conforme o presidente, o que contribuiu para o resultado da Usiminas Mecânica foi a adesão ao programa de refinanciamento de dívidas do governo estadual, que fez a empresa desembolsar R$ 20 milhões.

O diretor-executivo da Usiminas Mecânica, Heitor Takaki, avalia que será difícil a retomada da empresa aos níveis dos anos dourados, quando chegou a ter algo em torno de 6 mil funcionários. Hoje, são 1,4 mil trabalhadores na Usiminas Mecânica. A empresa foi fortemente afetada pela recessão no setor naval, capitaneado pela Petrobras. Com a paralisação da exploração, por causa da “Lava Jato”, houve um efeito cascata. A Usiminas Mecânica produz, por exemplo, chapas para cascos de navios.

Sem inimigos
Na corrida pelo interior do Estado, o governador Fernando Pimentel (PT) acabou desembarcando, há alguns dias, na fazenda do prefeito de Ipatinga, Sebastião Quintão (PMDB). Lá, comeu feijoada acompanhado de cerca de 40 prefeitos. Quintão é pai do deputado federal Leonardo Quintão, que quer candidatura própria do PMDB para governador. Mas, como dizem aliados, o lema de Sebastião Quintão é não ser adversário de ninguém, a menos que seja em uma campanha eleitoral cujo candidato é ele próprio.

Mini férias
O feriado foi de muito descanso para funcionários do Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais (TCE). Eles aproveitaram não só a quinta-feira, mas emendaram a sexta e até mesmo a quarta-feira. Isso mesmo. No TCE, foram cinco dias de descanso. A justificativa é a de que a quarta foi de folga em virtude do dia do servidor, comemorado na última sexta-feira. Diferentemente do TCE, alguns órgãos deram a sexta, após o feriado, de folga para os servidores pelo dia do funcionário público.

 

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários