Torna-te quem tu és e conhece a ti mesmo

Bianca Ladeia / 04/02/2018 - 06h00

“Torna-te quem tu és”. Desde muito nova, essa frase do filósofo alemão Friedrich Nietzsche norteia minha vida na incessante busca do que sou. O caminho do autoconhecimento permite que nos apropriemos de nossas forças e fraquezas mais íntimas. Permite um caminhar mais seguro, uma vez que tomamos as rédeas de nossas vidas e assumimos todas as consequências de nossas escolhas.

Mas o que isso significa?

Se você não conhece seus gostos, suas prioridades, seus desejos, certamente alguém fará as escolhas por você. E, caso o cenário desenhado por outrem te trouxer sentimentos e dias ruins, não há como reclamar: a responsabilidade será sempre sua. A única coisa a fazer é acordar para uma nova forma de viver e partir para a busca de “Tornar-te quem tu és”. A boa notícia é que nunca é tarde para se reinventar. 

O caminho do autodescoberta é complexo, mas se inicia em questionamentos simples que nos farão descobrir o que nos move na vida: Qual a viagem dos seus sonhos? De que tipo de música você gosta? Qual o seu hobby? Quais as pessoas que você gosta de conviver? Qual estilo de vestir te valoriza e te faz sentir bem e deslumbrante? O que faz seu coração vibrar e seus olhos brilhar? E ainda: O que não te faz bem? 

É preciso definir premissas e valores. Saber quais você escolherá para nortear a sua vida e te farão fazer as escolhas mais coerentes com você. Não é viver de forma egoísta ou centralizadora, mas viver em dia com o que você é. 

Você saberia responder rapidamente quais são suas cinco maiores virtudes e cinco maiores fraquezas?

Conhecer suas qualidades e potencializá-las é extremamente inteligente. Mas, igualmente importante, é preciso reconhecer suas fraquezas com compaixão e sem apego. Isso poderá tirar você da inércia e do vício de repetir atitudes e sentimentos inadequados. 

O processo é dinâmico e os obstáculos impostos pela vida são grandes aliados nessas descobertas. Em momentos difíceis nos deparamos frente à frente com o que somos de forma nua e crua: em nossas qualidades e defeitos. Devemos enfrentar as dificuldades como oportunidade de revermos nossas atitudes e pensamentos na busca de uma nova versão de nós mesmos. 

Temos que lembrar também que somos seres observadores e copiadores. Certamente se você vive em sua melhor versão, você irá inspirar pessoas a sua volta. Em uma corrente do bem, as pessoas serão tocadas a seguir esse caminho de autoconhecimento. Quando nossos olhos estão voltados para dentro em busca do nosso melhor, nossas melhores energias estarão direcionadas para o mundo a nossa volta. E se alguém algum dia achou que olhar para si é egoísmo: puro engano!

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários