Torcedor infantilizado

Postado em 26/07/2016 12h33
No documentário “Lord Don’t Slow Me Down” (2007), Noel Gallagher, cérebro do Oasis e torcedor fanático do Manchester City, ao passar em frente ao estádio do seu time do coração, em determinado momento, diz algo como, suspirando: “o templo do mau futebol...”. O episódio ocorreu em 2005, quando o...

Inversão de valores no Cruzeiro

Postado em 20/07/2016 08h08
Paulo Bento gosta da marcação pressão, avançada, no campo do adversário. Eu também. Mas se apegar a isso – ou a qualquer preferência estratégica – de modo a preterir a técnica, a qualidade dos jogadores em patamares acima de qualquer bom senso, claro, é um erro. Equívoco este que, para sorte de...

Se enganando pelos resultados...

Postado em 13/07/2016 08h22
Frases que versam sobre a imprevisibilidade do futebol, que decantam sua falta de lógica sem paralelos no mundo dos esportes já estão impregnadas no imaginário coletivo. Muitas tornaram-se clichês usualmente recebidos com expressões de enfado e reprovação; por serem óbvias demais, desgastadas em...

O anti-intelectualismo reina também no futebol

Postado em 05/07/2016 08h20
Tornaram-se ainda mais comuns, nos últimos meses, certas críticas, diretas ou indiretas, determinadas ironias, de alguns jornalistas, a respeito do que convencionou-se chamar-se de “tatiquês”. Não é possível traçar um panorama geral de todas essas declarações. Algumas delas não passam de...

Paulo Bento e repertório tático

Postado em 29/06/2016 09h08
Logo nas primeiras partidas comandando o Cruzeiro, Paulo Bento deixou boa impressão. Mostrou clara capacidade de organizar o time, fazer o conjunto posicionar-se corretamente, atuar de maneira consciente; suas peças sabiam o que realizar em campo. Ademais, a despeito dos empates diante de...

Marcelo Oliveira: simples ou simplório?

Postado em 21/06/2016 08h16
Quando Marcelo Oliveira foi contratado pelo Atlético, considerei um acerto da diretoria. Por diversos motivos. E sem cravar que daria certo, despido de grande entusiasmo, sem descartar algumas fortes relativizações – ligadas, sobretudo, a certa carência de repertório, de sofisticação do técnico em...

Avaliações injustas sobre o Cruzeiro na mídia

Postado em 14/06/2016 07h51
Tenho vivido situação peculiar como jornalista esportivo. Nos programas dos quais participo, via de regra, desde o início do ano venho me deparando com opiniões que, para mim, são excessivamente críticas com relação ao Cruzeiro – sempre deixei isso claro, no ar, para os interlocutores de cada...

Discurso x prática

Postado em 09/06/2016 08h47
São raros, no Brasil, os meio-campistas na acepção que Tostão gosta de utilizar (algo que se tornou verdadeiramente comum na Europa somente com a tendência em transformar armadores em “volantes”, o que acabou criando uma espécie de híbrido bem benéfico ao futebol). Em terras tupiniquins, permanece...

Diagnósticos dos nossos problemas

Postado em 29/05/2016 06h00
O principal defeito tático dos times brasileiros: pouca capacidade de controlar o jogo. Isso pode passar em grau considerável pelo pouco tempo dado aos técnicos. Mas o primordial, para mim, é simplesmente a deficiência do trabalho dos comandantes. A incapacidade que eles mostram de, nos...

Marcelo no Galo

Postado em 22/05/2016 06h00
A contratação de Marcelo Oliveira foi um acerto do Atlético. Aproveitando a chegada do novo treinador, reproduzo abaixo trecho de relatório que estou escrevendo sobre o Brasileirão 2015 – para um projeto sobre o qual falarei em breve. Neste, será possível conhecer melhor como foi a trajetória do...

O pior do Brasileirão

Postado em 15/05/2016 09h41
A primeira divisão tupiniquim começou neste sábado e... Sim: um candidato ao título, como o Santos, pode, por uma canetada mal dada, pela inépcia dos nossos dirigentes – inclusive dos coniventes mandatários do clube da Baixada –, lutar contra o rebaixamento; ou, talvez, destinar-se ao limbo, à...

Imparcialidade? Como não?

Postado em 05/05/2016 07h52
Em palestras, mesas de debate, papos em Universidades, dos quais participo, uma das perguntas mais frequentes passa por algo na linha: como o jornalista consegue ter a imparcialidade, a frieza de separar seu lado torcedor do profissional? Na medida em que essas indagações se repetiam, surgiam...