Contra a previsibilidade

Postado em 27/12/2015 07h24
No 4-3-3 do Barcelona Messi é, com folga, o jogador que tem maior liberdade para se movimentar, circular pelo campo. Para ficar só no trio MSN: Neymar atua aberto pela esquerda, Suárez é centroavante. O primeiro, claro, pelo talento, pela mobilidade que lhe é peculiar, não joga exatamente colado...

A Primeira Liga faz sentido?

Postado em 24/12/2015 08h34
Muito antes de a Primeira Liga ser mero embrião de ideia, já há alguns anos, nos programas dos quais participo na TV e no rádio, sempre fui bem reticente ao projeto de retorno dos interestaduais. Lembremos que, nestas épocas a que me refiro, quando o assunto era tratado, não se considerava que a...

O melhor Cruzeiro possível

Postado em 20/12/2015 08h50
Marcos Vinícius pela direita. Alisson pela ponta canhota. Arrascaeta como uma espécie de segundo atacante, muitas vezes por trás do homem mais adiantado, mas com liberdade para flutuar, cair pelos lados, puxar e confundir a marcação de diversas maneiras. Willian no comando do ataque, como um “falso...

Atlético x Cruzeiro

Postado em 17/12/2015 08h45
Durante boa parte do ano, tácita e indiretamente, em grande medida, deu-se a entender, na imprensa e na sociedade, que o elenco do Cruzeiro era muito fraco. Mais do que isso: que a disparidade do grupo celeste para o do Atlético apresentava-se abissal. Talvez seja mais um viés da mania de julgar...

Cruzeiro e tiki-taka

Postado em 13/12/2015 08h28
Nos meios mais iniciados do futebol fala-se hoje, com bastante frequência, de duas maneiras de jogo opostas; duas filosofias, duas propostas que se espalham pelo mundo: posse de bola ou contragolpe, atuar em transição. Há alguns anos essa espécie de dicotomia, de dualidade, se estabeleceu. Óbvio que...

Aguirre, Osório e rodízio

Postado em 10/12/2015 09h26
A passagem de Osorio pelo Brasil marcou-se bastante pelo frenesi midiático criado em torno da persona do colombiano. Para o bem e para o mal; para elogiar em excesso e criticar injustamente. De acordo com o freguês. Dependendo do instante. A imprensa tem dessas coisas. Cismas... De um lado, bastou...

Deivid: predicados e injustiças

Postado em 06/12/2015 11h38
Ficar reticente com a suposta e eventual ascensão de Deivid ao cargo de treinador do Cruzeiro é mais do que válido. “Insegurança” seria uma palavra condizente para definir a situação. E isso nada teria, necessariamente, com qualquer demérito do candidato a comandante. Em alguns casos, justamente...

Cruzeiro e Deivid

Postado em 03/12/2015 08h04
Cada vez mais tenho a convicção de que, em quase tudo que se refere à modalidade mais popular do planeta, há dois mundos. O interno, dos que vivem, militam no ramo, e o dos torcedores. Sei que a frase soa óbvia e poderia ser aplicada a, basicamente, qualquer coisa, qualquer área - claro, com as...

A loucura dos últimos dias

Postado em 29/11/2015 09h43
Loucura! Desordem! Pessoas mais frenéticas do que locutor de propaganda da Ricardo Eletro na Black Friday. Os últimos dias foram atípicos no futebol brasileiro. Por uma conjunção de fatores, uma concentração quase inacreditável, num curtíssimo espaço de tempo, de notícias e especulações envolvendo...

Um craque único

Postado em 26/11/2015 07h16
Dentro de campo, Alex foi um craque de estirpe única. Camisa 10 clássico no melhor sentido da expressão; da linhagem de Riquelme, Zidane, Djalminha, Francescoli. Armador tradicional de primeiríssimo escalão. Nem por um segundo, sequer flertou com aquele nível de arquitetos técnicos, habilidosos,...

Razões do atraso

Postado em 22/11/2015 14h19
Um dos principais atrasos do futebol brasileiro, em termos táticos, com relação ao que vigora no cenário dos principais clubes europeus passa, decisivamente, pela mania que ainda temos de dividir o campo e as funções dos jogadores de modo determinista, taxativo, simplório. A tendência no esporte...

Arrascaeta e as variações táticas de Mano

Postado em 19/11/2015 07h52
Na ótima trajetória de Mano Menezes como técnico do Cruzeiro, a sequência, a repetição, a manutenção de uma filosofia, de um estilo, têm sido a tônica. Ao contrário de Luxa, o gaúcho não vem mexendo de forma exagerada, desordenada. Não por acaso, sua equipe rapidamente ganhou corpo, aspecto coletivo...