O banco (dos réus)

Coluna Esplanada / 03/02/2018 - 12h00

É pule de dez que o ex-presidente no Brasil do banco BNY Mellon faça delação e entregue os caciques políticos do PMDB que o meteram na cadeia. José Carlos Lopes Xavier de Oliveira foi preso preventivamente pela Polícia Federal na Operação Pausare, acusado de gestão fraudulenta que deu rombo de R$ 6 bilhões ao Postalis, o fundo previdenciário dos Correios. A prisão preocupa a sede americana do banco e o CEO Charles W. Scharf. A Justiça americana e o FBI podem entrar na operação caso se comprove que dinheiro de propina circulou nas planilhas da sucursal brasileira. 

Arapongagem

Antes da prisão, o ex-presidente do BNY confidenciou a amigos que tinha medo de ser grampeado e vigiado pela Kroll. A empresa teria parceria com o banco americano.

Quem mandava

Suspeita-se que o banco, que administrava a carteira do Postalis, sofria ingerência no direcionamento de recursos em empresas de interesse de um séquito de políticos.

Meirelles 3 em 1

Do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, perguntado sobre as três coisas que julga mais importante na eleição deste ano: segurança, emprego e Previdência.

Fumaça perigosa

O resultado apertado no plenário do STF contra os aditivos de sabor nos cigarros deve aumentar o contrabando de produtos do Paraguai para o Brasil – estes, sim, com aditivos e substâncias perigosas, que entram clandestinamente no país pela fronteira Sul e não pagam impostos. A tese é do ministro Gilmar Mendes, voto vencido na questão.

Teoria do licor

O ministro Marco Aurélio provocou em seu voto (vencido) pela liberação dos aditivos: “do jeito que está vamos ter de acabar com o bombom de licor para que as pessoas não sejam pegas alcoolizadas”. O ministro Luiz Fux emendou: “ou que sejam reprovadas no bafômetro”.

Fala, JB

Eventual candidato ao Planalto pelo PSB, o ex-ministro do STF Joaquim Barbosa tem um bom motivo para gritar contra a impunidade no país, que revolta a sociedade. O relator do Mensalão viu todos os políticos condenados serem absolvidos por indulto presidencial de Dilma Rousseff, endossada pelo próprio pleno do Supremo.

Freire & Alckmin

Roberto Freire, presidente do PPS, vai anunciar dia 25 de março o apoio do partido à candidatura de Alckmin ao Planalto. Freire o convidou para a festa do PPS.

Mobilização

Dirigentes da CSB, CUT, Força Sindical e UGT lançarão dia 19 deste mês no Congresso Nacional a campanha contra a proposta da Reforma da Previdência.

Tonhão x Temer

Presidente da CSB, Antônio Neto, um fundador do MDB e amigo de Michel Temer, migrou para o PDT, virou oposição e pretende concorrer ao Senado por São Paulo. Espera oficializar dia 8 de março, quando Ciro Gomes será lançado ao Planalto pelos pedetistas em Brasília.

Ser ou não ser

Ex-ministro da Cultura, Marcelo Calero quer conversar com Carlos Lupi, do PDT, e Carlos Siqueira, do PSB, antes de decidir sobre qual o partido escolherá para concorrer a deputado federal pelo Rio de Janeiro.

Mineirices

Um grupo do PSB em Minas lançou manifesto pela candidatura do ex-prefeito de Montes Claros Ruy Muniz para o Senado pelo Estado. A mesma claque quer o ex-prefeito Marcio Lacerda candidato ao governo.

Calça Curta

Constrangimento na sessão do STF de abertura do ano. O ex-ministro Sepúlveda Pertence entrava no plenário quando suas calças caíram à altura do joelho. Um montinho de amigos o rodeou para se recompor.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários