Sinais de alerta

Coluna Esplanada / 15/05/2017 - 12h13

Dois anos antes da operação Lava Jato, o Banco Central disponibilizou 106 tipos de sinais de alerta de operações financeiras para uso dos bancos. De acordo com a chefe do Departamento de Supervisão de Conduta da instituição, Andreia Vargas, entre 1998 e 2016 foram emitidos cerca de 8 milhões de comunicados ao Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf): “670 mil como situações atípicas e 7,3 milhões referentes a operações em espécie acima de R$ 100 mil”. 

 

Constatação 

Apesar de o Coaf conseguir fazer seu papel, não há braços e tecnologias suficientes na Receita, PF e outros órgãos de fiscalização para cercar o crime de colarinho-branco. 

O candidato
É o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, quem está comandando as reuniões ministeriais de Michel Temer. Tem mais voz que o chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha. 

Tamanho do rombo
Francisco Esqueq, vice-presidente de Finanças e Controles Externos, foi enviado pelos Correios para reunião sobre o Postalis nos Estados Unidos; fica até dia 21 de maio. 

Foi pizza
O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social também foi alvo de uma CPI na Câmara dos Deputados que terminou em pizza. Nenhum pedido de indiciamento. O relator da comissão à época, deputado José Rocha (PR-BA), recebeu R$ 300 mil de campanha da JBS – alvo da operação Bullish, da Polícia Federal.

Do mal
Indagado pelo senador Ataídes Oliveira (PSDB-TO) se a Comissão de Valores Mobiliários foi omissa em relação aos últimos casos de corrupção, o superintendente do órgão, Fernando Vieira, redarguiu: “A CVM não falhou. Isso (corrupção) é continuo, e como já se falou aqui, a criatividade do criminoso é infinita”.

Que feio 1
Oito dos 16 municípios do Amapá receberam “nota zero” no quesito transparência. O dado consta em um minucioso raio-x realizado pelo Ministério da Transparência sobre o cumprimento da Lei de Acesso à Informação em 26 estados e no DF.

Que feio 2
Foram avaliados 2.328 municípios brasileiros. O Rio de Janeiro aparece em penúltimo lugar com 15 municípios “nota zero”.

Operação despiste
O Palácio escondeu a sete chaves a agência da Caixa que o presidente Temer visitaria na sexta-feira, 12, para evitar a presença de manifestantes. Poucos da direção sabiam. 

Custo Brasil
Do senador Cristovam Buarque (PPS-DF), ao argumentar sobre um dos pontos que o levam a apoiar a reforma: “A corrupção e a ‘deseconomia’ são as últimas amarras que impedem o Brasil de melhorar. O Brasil precisa se livrar dos custos do passado e uma das formas é a reforma da Previdência”.

Sobre Lula
Constatação do líder do DEM, deputado Efraim Filho, sobre o depoimento de Lula da Silva: “Aqueles que queriam a imagem de um inquisidor, encontraram um Juiz. Os que queriam um mártir, encontraram um réu”.

Sobre Dilma
Da senadora Gleisi Hoffman (PT-PR), sem citar fonte: “80% concordam que o golpe que derrubou a presidenta eleita Dilma Rousseff não valeu a pena e com Temer o Brasil só tem piorado”. Será? 

PMDB & Renan
O PMDB no Senado tem minado as resistências às reformas após o líder Renan Calheiros baixar a bola em relação a Temer. “A tendência hoje é pelo fechamento de questão dentro do PMDB. Mas o pedido deve ser encaminhado pela bancada da Câmara dos Deputados”, do líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR).

Desabafo
Ex-chefe de redações de grandes jornais de Pernambuco e Paraíba, o jornalista Henrique Barbosa, do Recife, desabafa por querer luz a fatos: “Está difícil ser blogueiro sério. Até hoje sou processado por ter criticado notícia falsa da Folha de Pernambuco”

Personagens
Segundo Barbosa, é sobre matéria que ligou, equivocadamente, o deputado estadual Waldemar Borges a Vaccari (ex-tesoureiro do PT). 

Ponto Final
“Cada geração tem o seu dever. O nosso dever era político. E o dever da atual geração? Ter saudade. Vocês pegaram um rabo de foguete danado”. Do saudoso crítico literário Antonio Candido.

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários