BH e suas bicicletas

Editorial / 29/11/2014 - 12h42
O projeto de implantação de bicicletários em Belo Horizonte foi uma iniciativa meritória. Em um mundo onde a poluição é cada vez mais destrutiva da natureza, a bicicleta em ambiente urbano é uma forma de diminuir o número de carros em circulação, reduzindo também a emissão dos gases do escapamento que contribuem para o efeito estufa. Em BH há 29 estações com “bikes” que podem ser alugadas. O problema é que o serviço tem sido pouco utilizado.
 
A explicação parece óbvia, como diz especialista ouvido pela reportagem do Hoje em Dia: topografia e infraestrutura. A capital é uma cidade de morros, onde o hábito de trafegar de bicicleta se torna uma tarefa quase que destinada a atletas de alto desempenho. Não por acaso, a iniciativa tem tido muito sucesso na orla da Pampulha, completamente plana.
 
Exageros à parte, tem também a questão das ciclovias, cujo trajeto é interrompido por ruas, passeios e outros obstáculos, impedindo o pedalar contínuo.
 
Representante da instituição financeira que patrocina o programa “Bike BH” afirma que a proposta ainda não está derrotada. Acredita que de equipamento de passeio e lazer a bicicleta possa se transformar em veículo do cotidiano, como meio de transporte.
 
Em Paris, na França, por exemplo, o serviço de bicicletas tem uma aceitação enorme. Isso em uma cidade que conta com um serviço de metrô que corta a cidade em todas as direções e tem uma estação a cada 500 metros. Recentemente, o governo francês lançou um programa que prevê redução de impostos para as empresas que convencerem seus empregados a irem para o trabalho de bicicleta.
 
Mas, não podemos esquecer, Paris é uma cidade quase plana. Além disso, os carros dão passagem para as bikes. Por isso, não há ciclovias na cidade. Ruas e avenidas são as trilhas dos ciclistas.
 
Algo bastante diferente da nossa realidade, como se pode ver. Uma professora de logística comentou na reportagem que os belo-horizontinos estão muito acostumados com o carro como meio de transporte e não se muda essa realidade da noite para o dia. Mas todos os especialistas ouvidos pelo HD disseram que insistir com o projeto é necessário. A persistência poderá gerar bons frutos.
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários