Custo do material escolar nas alturas

Editorial / 09/01/2018 - 06h00

Os preços do material escolar registraram variação superior a 500% em Belo Horizonte e Contagem, segundo pesquisa do site Mercado Mineiro, realizada no período de 4 a 8 deste mês. É o caso, por exemplo, da pasta com aba de elástico, que variou de R$ 2 a R$ 12,90, uma diferença de 545%. Já o plástico para encapar tanto cadernos quanto livros tem custo de R$ 0,70 a R$ 3,90 (457%) e uma simples lapiseira pode ser encontrada com valores de R$5,90 e R$ 29,90 (406,78%).

Dados da Associação Brasileira dos Fabricantes e Importadores de Artigos Escolares e de Escritório (Abfiae) mostram que os preços do material escolar fabricados no Brasil subiram em média 12% neste ano, como as canetas e borrachas. Já os importados – lancheiras, estojos e mochilas – tiveram alta entre 20% e 30%.
Para tentar aliviar o peso dos custos do material escolar, a Abfiae tem solicitado ao governo uma redução da carga tributária incidente sobre esses produtos.

Segundo a entidade, recente pesquisa do Instituto Brasileira de Planejamento e Tributação (IBPT) constatou que esses artigos são taxados em até 47% como, por exemplo, as canetas esferográficas. Já o apontador e a borracha escolar têm alíquota de 43%, enquanto nos cadernos universitários e no lápis esse custo chega a 35%.

Em Belo Horizonte, para tentar fisgar a clientela, comerciantes já estão parcelando a aquisição do material escolar em até 10 vezes, têm oferecido brindes e até descontos nas compras coletivas. A estimativa da Câmara de Dirigentes Lojistas é de que as vendas desse segmento neste ano registrem um crescimento de 5% em relação ao ano passado.

Para tentar economizar e amenizar as altas de preços nesse segmento, o consumidor deve estar muito atento. Primeiro é necessário pesquisar os valores dos produtos pela internet, para evitar ter que ir de loja em loja. Alternativas são a busca do livro usado em bom estado, oferecida por algumas livrarias, e as compras coletivas, que têm possibilitado uma redução nos custos. Na hora da aquisição artigos escolares, é bom também deixar as crianças em casa, pois elas acabam partindo para os supérfluos. Portanto, para evitar o desperdício ao ir às compras, todo cuidado é pouco.

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários