Não deixe a vacina da gripe para depois

Editorial / 12/05/2018 - 06h00


Apesar do alerta constante dos órgãos de saúde sobre a importância de se vacinar contra a gripe, a imunização é negligenciada em Minas. Até ontem, faltando 20 dias para terminar a campanha, 60% do público-alvo ainda não havia comparecido aos postos. 

Para garantir melhor cobertura, a Secretaria de Estado de Saúde promove hoje, sábado, o Dia D da Imunização, quando todos os postos de saúde do Estado estarão abertos exclusivamente para a vacinação.

As doses têm como alvo pessoas com imunidade mais baixa, como idosos, gestantes e crianças até 5 anos, e aquelas que correm mais riscos de contrair o vírus por estar em contato com doentes, como os profissionais de saúde. No entanto, há grande rejeição, sobretudo dos idosos, em se vacinar. 

Com base em crenças e falsas informações, muitos negligenciam um ato tão importante. Acreditam erroneamente que a imunização, em vez de evitar, pode desencadear a gripe ou provocar outras reações adversas. Há aqueles também que por comodismo deixam de se deslocar até o posto de saúde mais próximo apostando na sorte de não contrair a doença, que pode gerar problemas mais graves, como a pneumonia e outras doenças pulmonares, levando até a morte.

As autoridades de saúde desmentem todos os anos as falsas informações sobre riscos da vacina e campanhas informam sobre a importância de sair da zona de conforto e comparecer a um posto para se imunizar, mas, entra ano sai ano, a cobertura vacinal sempre deixa a desejar, obrigando os postos a promover mutirões.
É preciso entender que vacinar-se contra a gripe, além de garantir a proteção individual, é uma forma evitar que as pessoas do convívio sejam contaminadas.

Portanto, uma ato de responsabilidade e de colaboração para a saúde coletiva. Estima-se que internações em hospitais foram reduzidas em cerca de 30% com as campanhas de vacinação. Mas ainda é muito pouco. Quem ainda não se vacinou, aproveite e vá hoje ao posto mais próximo. As doses estarão disponíveis nessas unidades até 1º de junho. Porém, especialistas recomendam às pessoas se imunizarem o quanto antes, já que a vacina demora cerca de 15 dias para fazer efeito. 
 

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários