Não há desculpa para invadir pista do move

Editorial / 19/06/2017 - 06h00

O trânsito de Belo Horizonte está entre os piores do Brasil, sem dúvidas. Sofremos diariamente, as consequências de uma cidade, apesar de ter sido concebida dentro de um planejamento moderno, não seguiu os desenhos e cresceu de forma desordenada. BH era para ser uma cidade modelo, mas repetiu os mesmos erros de outros municípios concebidos ainda no primeiro século da história do país, com os mesmos resultados. 

Mas esse descaso com o projeto original da cidade e falhas graves de projetos de ruas e avenidas não poder ser desculpa para cometermos infrações que podem colocar em risco bens materiais e, pior, a vida de muitas pessoas. 

É muito comum flagrar carros de passeio circulando pelas pistas que devem ser exclusivas para o transporte coletivo. A maioria das vezes, a atitude é provocada pela lentidão nas pistas “normais”, mas também há casos de motoristas que passam pelas faixas sem trânsito intenso e fora do horário de pico. 

A fiscalização até que parece estar atuando. São 13 ocorrências por hora na cidade, um número bastante significativo. 
Tudo bem que as faixas do centro da cidade e em avenidas como Nossa Senhora do Carmo e Pedro II são pouco visíveis e, às vezes, cheias de “pegadinhas”. Porém, nossa reportagem registrou vários erros cometidos nas faixas do Move, nas avenidas Antônio Carlos e na Cristiano Machado.

Nesse caso, não há desculpa. As pistas são facilmente identificadas e há, inclusive, barreiras físicas separando-as das pistas normais. O motorista que entra em uma pista nessas duas vias sabe que está cometendo uma irregularidade. É por escolha. E como toda escolha, tem uma consequência. 

Não é só questão de multa e dinheiro. É uma questão de civilidade. Será que esses motoristas pensam que são mais espertos que os outros? Que estão colocando em prática uma ideia brilhante que ninguém teve? Perdoe-nos se você é uma pessoas dessas, mas é muita pobreza de espírito. 

Basta-nos torcer para que as pessoas aprendam um dia com as punições de radares e autuações e que não haja nenhuma perda de vida por causa da teimosia e egoísmo de poucos motoristas. 

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários