Juventude, cidadania e espaços públicos

Irlan Melo / 30/04/2018 - 06h00

Você sabia que Belo Horizonte possui 790 praças e 74 parques? Uma média de 18,22 metros quadrados de áreas verdes por habitante, 50% a mais do que recomenda a Organização Mundial de Saúde, que são de 12 metros.

Estes espaços de lazer e convivência infelizmente não são utilizados pela maioria da população, a exemplo do que acontecia anos atrás. Falta estrutura adequada para atrair e receber pessoas, algo além dos tradicionais banquinhos e área verde existente. 

Hoje necessitamos e esperamos encontrar academias a céu aberto, mesas para jogos, espaços para apresentações, atividades de educação e cultura, além de iluminação e pavimentação adequada para sua utilização.

Os jovens querem usufruir destes espaços públicos. Shoppings são incapazes de oferecer o que uma praça e um parque bem organizados podem proporcionar. Além do espaço ser público e estar mais perto de casa do que se imagina, o mesmo pode proporcionar lazer e cultura por meio de manifestações culturais e sociais. Estes espaços permitem a prática de esportes, cultura, conhecimento, além de propiciar e permitir a inclusão social, sobretudo de pessoas com deficiência. 

No bairro Mantiqueira, Regional Venda Nova, criou-se o “Reino na Praça”, um movimento que busca promover interação por meio de apresentações artísticas como dança, teatro, música e a socialização da comunidade, utilizando para isto as praças localizadas em cada bairro. O movimento visa resgatar estes locais públicos que antes eram dominados por usuários de drogas, vândalos e moradores de rua.

Revitalizar praças e parques é o mesmo que sanar problemas sociais, ao convidar moradores da região e seus familiares para conhecer um espaço próximo de sua residência que pode proporcionar o lazer para seus filhos e um momento de descanso e boa conversa.

Em um mundo cada vez mais corrido, com a verticalização das residências, um espaço cuidado, iluminado, seguro e perto de casa permite a “socialização urbana”, onde o vizinho da rua ao lado se torna o mais novo amigo e a praça, o quintal de sua casa.

Uma cidade sem espaços públicos adequados é como uma casa sem quintal. Ruas, viadutos e avenidas sempre levam a alguma praça, lago ou parque de nossa cidade, local adequado para encontros de uma população que deseja uma cidade cada vez mais feliz e melhor. Adote esta ideia. 

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários