Religiosidade, qual é a sua ?

Irlan Melo / 19/03/2018 - 06h00

Por incrível que pareça a pergunta acima não fala de religião, ou de fé. Religiosidade se refere ao que lhe é sagrado, o que trata de forma especial e com respeito. Eu particularmente sempre vi na família meu porto seguro e dediquei a ela minha devoção maior. E assim, ao me envolver em cuidar, acabei me dedicando a várias atividades pessoais e sociais.

Ao ter bases sólidas do que é família que acabei fazendo de minha rua uma extensão da mesma. Articulei e participo da Rede de Vizinhos Protegidos. E antes mesmo de ser Vereador sempre observei e estive atento às necessidades e melhorias de meu bairro. Atuando onde moro acabei vendo instituições e ali adentrei oferecendo somar forças e perguntando no que poderia participar e ajudar. Assim conheci a instituição dos barbeiros e o trabalho de corte de cabelo para pessoas em asilos e jovens carentes. A associação que recolhe e distribui leite para recém nascidos que não têm acesso ao mesmo. Ouvi a música de uma instituição que ensina jovens carentes e uma associação que dá suporte a pessoas que possuem deficiências.

Em função disso fui convidado pela Rede Super de Televisão a ser protagonista do quadro “O Seu Advogado” onde orientava pessoas, através do canal de TV, sobre seus direitos e formas de conduta levando a quem necessitava uma mão estendida no sentido de orientar.

Um dia fui chamado por um grupo de pessoas. Imaginei que era alguma orientação jurídica. E ao chegar o ar era de seriedade. Ouvi um senta aqui e nos escute. E logo depois escutei argumentos, de pessoas as quais respeito muito, dizendo o que nunca havia me passado pela cabeça, que deveria me candidatar a ser um vereador de nossa cidade.

Confesso que não dormi. Tudo que sempre fiz foi no sentido de somar e esclarecer, ajudar e resolver, sem pretensão alguma. E algumas horas antes havia escutado um pedido, mas não um pedido qualquer... Bem, comecei os trabalhos em meu gabinete no dia 02/01/17, com um treinamento de toda a equipe. Em um domingo de manhã estava junto a moradores após uma inundação na Tereza Cristina. Vi e vejo cada Belorizontino como um pai ou mãe que usa o anel rodoviário e necessita ser protegido. Fiz audiências, protocolei solicitações de serviço publico, pedi explicações, reconheci a dedicação de muitos, pois uma cidade é algo vivo e necessita de presença e cuidados constantes.

Eu não sei o que para você é sagrado e ao que dedica sua religiosidade. Se é seu trabalho, seus amigos, sua família, sua religião, ou algo que faz. O que posso te dizer é que seja qual for sua escolha, só podemos faze-lo nos dedicando e acreditando no que assumimos fazer com respeito. A minha é o somar e fazer de minha família e de nossa cidade um lugar cada vez melhor. #AcordaBH.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários