Alguns são mais iguais do que os outros

Mateus Simões / 26/03/2018 - 06h00

Todos são iguais perante a lei. Assim é a regra constitucional e assim deveria ser. Mas o comportamento dos fãs de Lula, diante do julgamento marcado para esta segunda, parece contrariar essa lógica. Para eles, as regras deveriam ser diferentes, ao que parece.“Os animais são todos iguais, mas uns são mais iguais do que outros.” A frase é de George Orwell, (n)A Revolução dos Bichos, uma crítica evidente às sociedades que promovem a defesa estética da igualdade enquanto, na verdade, colocam em prática a clara estratificação social entre uns e outros, os que merecem o rigor frio da lei e os que recebem a atenção calorosa de amigos do poder.
Ao ver as gritas dos incomodados com a condenação de Lula e sua iminente prisão - que espero seja confirmada hoje -, percebo que repetem George Orwell, ao descrever os porcos como animais que se consideram melhores e que, por isso mesmo, mereceriam todos os favores, mesmo aqueles negados aos demais.
No que ele, o ex-presidente e futuro presidiário, seria melhor do que os outros destinados ao cárcere? Ou será que sua fama e seu séquito blindam a ex-eminência da responsabilidade pelos crimes que cometeu, utilizando-se exatamente de seu domínio carismático sobre a política nacional…
Se quem foi condenado em duplo grau de jurisdição tem de começar a cumprir pena. Não deveria ser exatamente esse o destino dele? Ou mereceria algum tipo de privilégio apenas pelo que já foi? Se for para decidir com base em paixões, corro o risco de dizer que ele receberia tratamento ainda mais duro em uma consulta popular ampla, mas é certo que abandonamos há séculos a prática cruel de jogar condenados aos leões. Ele não sofrerá crueldades, apesar de todo o ódio que atualmente desperta na maior parte da população. Nem por isso deve ser poupado apenas pelo que já representou (ou ainda representa para várias pessoas).Se não é justo aplicar-lhe penas físicas, também não há justiça em lhe entregar benefícios que não se estendem a todos. E, mais desviada ainda é a intenção de mudar toda uma leitura da forma adequada de aplicação da lei penal - como se pretende forçar através do STF - apenas para atender aos objetivos de um. Poderia terminar com outra citação: “Aos amigos, tudo! Aos inimigos, a lei.”Poderia também torcer, de público, para que Lula não tivesse amigos em posições de poder capazes de colocá-lo a salvo da lei. Prefiro acreditar, contudo, que esse não é o Brasil em que vivemos, não mais. Ao final desse imbróglio, espero que estejam todos eles presos (os corruptos de todas as cores ideológicas), porque ninguém é maior do que a lei, nem melhor diante dela.

 

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários