Cidade: A casa maior de todos

Professor Wendel / 04/12/2017 - 06h00

No próximo dia 12 de dezembro, Belo Horizonte completa 120 anos. Sempre em data de aniversário, a gente costuma fazer uma reflexão sobre o tempo, os acontecimentos. Nossa capital já passou por várias fases e acontecimentos e com seu crescimento ainda há muita coisa a ser feita para torná-la um lugar cada vez melhor de viver. Mas tornar uma cidade um local excelente para viver não é responsabilidade apenas do poder público, mas também de todos seus cidadãos. A cidade deve ser compreendida como a casa estendida do ser humano. As pessoas vivem em família, em uma casa na qual realiza suas principais atividades físicas e relações afetivas. Mas também vive, em espaços urbanos, principalmente os públicos, nos quais exerce a sua cidadania cívico-cultural e política, relacionando-se com outros indivíduos e grupos sociais. Dessa maneira, é importante compreender a cidade como a casa maior de todos os cidadãos. Portanto, as pessoas devem cuidar da cidade como se cuida da sua própria casa, entre outras razões, porque se vive mais na casa maior que na casa menor.

Faço esta abordagem porque estou sempre recebendo reclamações de moradores de várias regiões de BH com relação ao uso comum do espaço público. A maioria das reclamações é sobre o descarte do lixo, mostrando os riscos de doenças que muitas comunidades ficam expostas por causa do acúmulo de lixo nas ruas. Uma pessoa do Alto Vera Cruz enviou-me uma mensagem e fotos de um verdadeiro “lixão” na rua Desembargador Bráulio. E o pior, com a seguinte denúncia: “A Prefeitura acaba de limpar e daí a pouco, as pessoas chegam e descarregam o lixo de qualquer maneira aqui na rua”. Recentemente, em uma audiência pública que realizei sobre as obras em um córrego e com a presença de várias lideranças comunitárias, fiquei impressionado com a fala de vários moradores. Eles disseram que de nada vão adiantar as obras de drenagem do córrego, porque as pessoas não param de jogar lixo no local.

Reclamações de praças sujas, principalmente com dejetos de animais são centenas, bem como de muito lixo nos bueiros que causam enchentes. Recentemente, por causa das chuvas, estão sendo retiradas diariamente da Lagoa da Pampulha cerca de 20 toneladas de lixo, carregadas por córregos em seu entorno. Varrer as ruas e recolher o lixo são atribuições do poder público e evitar jogar lixo no espaço público é dever do cidadão. Se cada um fizer a sua parte teremos uma cidade mais limpa e melhor de se viver. Esta é uma atribuição que deve ser conjunta.

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários