Cobrador de ônibus é essencial

Professor Wendel / 05/02/2018 - 06h00

Janeiro é mês de recesso na Câmara Municipal e, por isso, os trabalhos no plenário e comissões ficam suspensos, mas meu gabinete e escritório parlamentar funcionaram normalmente. Assim, atendi muitas pessoas, visitei comunidades, ouvi as principais demandas e, entre elas, uma reclamação recorrente é a ausência de trocadores nos ônibus nos fins de semana, feriados, nos horários noturnos e também em alguns ônibus do Move.

A justificativa maior para janeiro, período de férias, é devido à queda do número de passageiros. Mas, como me disse um grupo de usuários: o período é de férias escolares, mas milhares de trabalhadores que não estão de férias precisam usar os coletivos diariamente. Realmente, uma cidade do porte de Belo Horizonte, com mais de dois milhões de habitantes, necessita oferecer um melhor atendimento no seu transporte público.

Os relatos de problemas da falta de trocador são vários. As pessoas afirmam que é uma situação injusta para os motoristas, que têm que assumir dupla função, pois além de prestar atenção no trânsito também precisam receber dinheiro, dar troco e conferir a catraca.

Segundo representantes da categoria, isso tem sido causa de estresse, afastamento por problemas de saúde e acidentes. Um exemplo disso foi o acidente ocorrido na primeira quinzena de janeiro, quando um ônibus despencou de trincheira em Contagem, ferindo dez pessoas, pois o motorista perdeu o controle do veículo após discutir com duas passageiras que queriam pular a roleta. Motoristas nos contaram que quando tinha cobrador era raro acontecer uma situação como essa e que também aumentaram os roubos a coletivos.

Outra situação que merece ser destacada é o atendimento ao deficiente físico. Como não tem autonomia e necessita de ajuda, o motorista precisa parar o ônibus e muitas vezes contar com a colaboração dos próprios passageiros para ajudá-lo a manusear o elevador e colocar o deficiente no local adequado. Esses relatos demonstram claramente como a população fica prejudicada pela falta do cobrador. Por isso, todo debate público que acontecer, projetos para serem votados exigindo a presença do trocador em todos os dias, horários e linhas terão meu apoio.

Outro aspecto a que também estarei bastante atento é com relação ao aumento das passagens. Por isso, no final do ano passado, criei a Frente Parlamentar contra o aumento da passagem dos coletivos e o resultado foi positivo, pois o prefeito anunciou que o aumento é zero. Mas continuaremos acompanhando e fiscalizando essa questão.

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários