Festa do povo, para o povo

Professor Wendel / 12/02/2018 - 06h00

Estamos em plena segunda-feira de Carnaval e Belo Horizonte demonstra que a folia aumenta a cada ano na nossa capital. Já se foram os tempos em que apenas a Banda Mole desfilava um sábado antes do Carnaval e depois, como diziam as pessoas, BH virava um verdadeiro “deserto”, com a maioria da população pegando a estrada para as praias, cidades históricas ou com atrativos como cachoeiras. De 2010 pra cá, o reino de Momo ressurgiu com força total em BH com a vibração frenética dos blocos de rua, que hoje somam mais de 400. Agora, a Banda Mole continua desfilando uma semana antes e os blocos também, e a folia se estende até depois da quarta-feira de cinzas. Neste longo reinado de Momo, segundo cálculos da prefeitura, cerca de 3,6 milhões de pessoas brincam ao som dos ritmos carnavalescos, com muitas fantasias criativas a partir da imaginação das próprias pessoas. O comércio também lucra com a festa, vendendo muitos adereços, tecidos e aviamentos para a confecção das fantasias, bem como bares e ambulantes, cadastrados pela prefeitura.

O importante de toda esta animação do Carnaval em Belo Horizonte é que ele ressurgiu a partir da própria iniciativa do povo. Belo Horizonte já teve um grande Carnaval há algumas décadas, mas que desapareceu por falta de apoio público. Em 2009, um grupo de amigos, que decidiu ficar em BH, resolveu fazer uma festa de carnaval e formaram uns três blocos, que desfilaram em alguns locais. Em 2010, surgiu o Praia da Estação, um movimento de protesto por causa do Decreto que proibia grandes atos na Praça da Estação. De maneira irreverente e bem divertida, o Praia da Estação, ganhou muitos adeptos e a partir daí, surgiram outros blocos. Com isso, a festa foi ganhando força e assim, o poder público sentiu necessidade do diálogo e apoio. Hoje, o Carnaval de rua em BH está entre os melhores do país e incentivou milhares de belo-horizontinos a permanecerem na cidade e também tem atraído muita gente de fora.

Então, o que se percebe é que aqui o Carnaval foi conquistado pelo próprio povo. É uma folia criativa, que está trazendo valores altos para a cidade e está se consolidando como um Carnaval democrático e gratuito. Por causa dessas características marcantes da chamada mobilização social, estou apoiando vários blocos e até um Carnaval infantil, e também vou participar de alguns desfiles. Afinal também gosto da folia e como belo-horizontino, estou muito feliz de ver que nosso criativo e alegre Carnaval de rua voltou a ser um dos melhores do Brasil.

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários