A riqueza cultural do Norte de Minas Gerais

Raquel Muniz / 14/05/2018 - 06h00

Formado por oitenta e nove municípios, o Norte de Minas possui uma das mais ricas culturas do Brasil, com diferenças em cada microrregião, mas quase sempre baseada na gastronomia, nas festas religiosas e folclóricas e na simpatia do seu povo.

Montes Claros se desponta nesse cenário de diversidade cultural e grande beleza. A Festa dos Catopês ou Festas de Agosto são manifestações religiosas em homenagem à Nossa Senhora do Rosário, São Benedito e Divino Espírito Santo.

Basta sair de casa para contemplar o espetáculo dos Catopês, Marujos e Caboclinhos subindo e descendo ruas da cidade, dançando aos sons de seus instrumentos musicais, acompanhados por multidões e com destino à Igrejinha do Rosário. São homens, mulheres e crianças em procissões que remontam aos nossos primórdios, antes mesmo de Montes Claros, por volta de 1839, oficializar os primeiros festejos que acontecem sempre de 17 a 21 de agosto.

Nas cidades ribeirinhas, como Januária, Manga, Pirapora e São Francisco, há forte influência das lendas e crenças que rondam o Rio São Francisco, além da presença de comunidade de pescadores que confeccionam canoas, tarrafas (redes de pesca) e entalham esculturas de carrancas (criaturas de aparência grotesca usada nas embarcações para espantar maus espíritos).

Já na região do Grande Sertão Veredas, que compreende os municípios de Januária, Cônego Marinho, Miravânia, Chapada Gaúcha, Itacarambi e Bonito de Minas, a tradição da Folia dos Três Reis Magos é o evento cultural de destaque. Realizado todo início de ano, os foliões passam de casa em casa e são servidos com pão-de-queijo feito no forno caipira, pinga e café, e finalizam o acontecimento com uma grande celebração na casa de um dos foliões ou devotos.

Salinas é outra incrível cidade do Norte de Minas. Sua economia pujante gira em torno de uma produção anual de cinco milhões de litros de cachaça de cinquenta diferentes marcas. Essa considerável marca fez com que o município ficasse conhecido nacional e internacionalmente, o que para nós, mineiros, é maravilhoso.

Sugiro que você, leitor, não deixe de visitar também o museu Regional do Norte de Minas, localizado em Montes Claros. O local é bastante agradável e reflete a beleza de uma das regiões mais históricas e cheias de encantos culturais do Estado de Minas Gerais.

Estar no Norte de Minas é sentir na pele uma experiência inacreditável. As inúmeras ruas charmosas com enormes casarões coloniais, um povo acolhedor e cheio de vida, terra de tropeiros, indígenas e religiosos, as danças como a Catira, Lundu, Folia de Reis, Dança de Fitas, Dança de São Gonçalo, dentre outras, são o patrimônio mais valioso dessa inesquecível região.

Recentemente foi eleita presidente da Comissão e Cultura com a missão de preservar, valorizar e propagar a cultura brasileira, em especial a da nossa terra. Apoiarei as tradições, a cultura local e a história de seus bravos pioneiros. Entendo que esse é um tema extremamente relevante, haja vista que valoriza a amizade, aproxima as pessoas, resgata valores e promove o entretenimento e a paz.

Povo sem cultura é povo sem história e valores!

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários