A saudosa professora Helley Batista é homenageada na Câmara dos Deputados

Raquel Muniz / 12/03/2018 - 06h00

A Câmara dos Deputados homenageia anualmente personalidades que se destacam por suas iniciativas relacionadas aos direitos das mulheres com o prêmio intitulado Mietta Santiago, que este ano aconteceu no último dia 07/03, em Brasília, durante sessão solene por ocasião do Dia Internacional da Mulher.

O evento é destinado a agraciar pessoas, instituições ou entidades, campanhas, programas ou movimentos de cunho social, civis ou militares, nacionais ou estrangeiros, por iniciativas relevantes à nação brasileira, relacionadas aos direitos das mulheres.

A outorga ocorre em quatro níveis – platina, ouro, prata e bronze, e as candidatas devem comprovar atuação destacada em pelo menos uma das 17 áreas temáticas elencadas pelo regulamento, que incluem economia, direitos humanos e cidadania, educação, juventude, igualdade racial e segurança pública, dentre outros.

Após criteriosa análise, a Secretaria da Mulher da Câmara dos Deputados escolheu quatro mulheres para receberem a referida premiação, edição 2018, entre elas a professora Helley de Abreu Silva Batista, de 43 anos, que morreu no incêndio ocorrido no Centro Municipal de Educação Infantil Gente Inocente, em Janaúba (MG), tentando salvar diversas crianças.

A tragédia, ocorrida no dia 05/10/2017, abalou o Brasil devido à frieza e covardia do vigia, que ateou fogo em várias crianças indefesas e depois em si. 

Naquele fatídico horário haviam 75 crianças e 17 funcionários. Além da professora Helley e o vigia Damião Soares dos Santos, de 50 anos, infelizmente várias crianças também morreram e muitas outras terão sequelas profundas.

Dias depois do ocorrido, consegui uma audiência de urgência com o presidente Michel Temer, que se prontificou a destinar R$ 2 milhões para a reforma de dois hospitais e a construção de duas creches na região, além de ter concedido à professora a Ordem Nacional do Mérito, dada às pessoas que deram exemplos de dedicação e serviço ao país, como a bravura demonstrada pela professora.

Eu e o deputado federal Saraiva Felipe resolvemos indicar a professora Helley porque ela foi uma verdadeira heroína. 
Não há dúvida que a nossa premiada preencheu todos os requisitos para merecer tamanha honraria, pois deu sua própria vida para salvar outras. Quem de nós teria essa coragem?

A premiação do ato heroico da professora Helley Batista nos faz acreditar na postura de generosidade e preocupação com a defesa dos mais fracos. 

Segundo testemunhas e a própria polícia, ela teve queimaduras por todo o corpo e ainda entrou em luta corporal com o vigia para impedir que mais meninos e meninas fossem atingidas pelas chamas.
Claro que nenhuma homenagem amenizará a dor dos amigos e familiares, mas reconhecer o feito da professora Helley é um pequeno gesto que pode ajudar.

Coragem e compromisso com a vida foram as marcas da professora Helley Batista. Seu exemplo ficará marcado na história de Minas Gerais e do Brasil.

Viva a heroína Helley Batista!

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários