Barragens: importante ferramenta no enfrentamento da seca

Raquel Muniz / 19/03/2018 - 06h00

A abundância de água neste Verão faz muitos se esquecerem dos duros tempos vividos dias atrás. Esquecem-se de que a escassez de água é o grande desafio para a sobrevivência humana e animal, sobretudo no Norte e Nordeste do Estado de Minas Gerais, onde a estiagem é prolongada. Uma alternativa que sempre deu certo foi a construção de barragens abertas ou subterrâneas. A técnica desta última é relativamente simples. Consiste em captar e armazenar a água da chuva em pequenas valas abertas até a parte impermeável do solo. Depois cobre-se com lonas, terra e vegetação rasteira.

Já as barragens abertas são depósitos de água bem maiores com a finalidade de abastecer grandes áreas povoadas ou a atividade agropecuária. Há mais de quatro séculos as barragens vêm propiciando enormes benefícios. Apesar de o Brasil ter a maior reserva de água potável do mundo, sofremos problemas de contaminação de mananciais e irregularidade pluviométrica. As barragens têm demonstrado resultados bem exitosos para se evitar isso.

Necessitam de investimento financeiro, humano e ambiental, além de acompanhamento, monitoramento e manutenção, para garantir seu funcionamento e evitar acidentes. Mas são, sem dúvida, uma das principais ferramentas que temos à mão para que estas regiões possam se resguardar para os tempos de chuvas escassas e consigam fazer o enfrentamento da seca sem que percam o cultivo ou morram os animais.

As barragens são por isso importantes instrumentos de desenvolvimento, haja vista que, além de armazenarem água para as plantas, animais e, principalmente, para o ser humano, propiciam a geração de energia hidrelétrica. E mais, a regulagem das cheias beneficia diretamente a irrigação, o que pode ser traduzido em mais fartura para a mesa dos brasileiros e mais dignidade para o homem do campo. 

Graças às barragens, o Brasil tem melhores condições de enfrentar os desafios da seca e proporcionar uma vida menos cruel para sua gente. Esta é a nossa luta, mais qualidade de vida para os mineiros da cidade e do campo.


 

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários