Dez perguntas e respostas sobre psicopatia

Simone Demolinari / 24/08/2017 - 06h00

1- O que é psicopata? 
Muitos pensam que psicopata é assassino ou alguém deliberadamente ruim. Mas este não é um pensamento correto, alias, pensar assim dificulta a percepção de que podemos estar ao lado de um. É claro que existem psicopatas criminosos, mas há também aqueles que sequer praticam um ato de violência. Cometem “crimes” emocionais–matam a alegria, a espontaneidade, a liberdade e principalmente a autoestima. 

2- Qual o traço mais marcante do psicopata?
A ausência de remorso e culpa. Além disso, são incapazes de sentir empatia (capacidade de se colocar no lugar do outro), isso o faz uma pessoa egoísta, preocupada apenas com seus interesses. Mas essas características só são percebidas nas relações íntimas. Pois em geral, são pessoas simpáticas, divertidas, solícitas e sempre de bem com a vida. 

3- Existe alguma forma de percebermos a psicopatia antes de entrarmos numa relação amorosa?
Muito difícil. As características vão se mostrando aos poucos e, muitas vezes, as pessoas não tem sagacidade para perceber e acabam negligenciando comportamentos que estavam presentes desde o início. 

4- Cite um exemplo de comportamento que pode ser negligenciado.
O ciúme. O psicopata é muito ciumento, e isso, no começo da relação, pode ser confundido com amor. Só com o tempo é que fica claro que aquilo não era insegurança e sim jogo de poder, pois, ao mesmo tempo que sente, também provoca ciúme no outro. 

5- Um duplo padrão? 
Sim. É enlouquecedor e contraditório. Cobram o que não são capazes de dar. Não cumprem combinado e mudam as regras de acordo com o que lhe favorece.

6- É possível alguém com esse comportamento mudar?
Como esperar mudança de quem não se sente culpado? A mudança ocorre à partir de duas frentes: autocrítica e empatia. Dois sentimentos inexistentes na psicopatia. 

7- Por que há tantas relações com psicopatas?
Primeiro porque está cheio deles por aí, e segundo, porque ninguém não sabe que está entrando numa fria. Alias, a primeira vista são pessoas perfeitas: agradáveis, divertidas, protetoras. Difícil é não se apaixonar. 

8- Existe um perfil mais vulnerável ao psicopata?
Sim. São os que possuem a “síndrome de salvador da pátria” - pessoas boas, generosas, empáticas, que sentem grande prazer em ajudar. Apesar de aparentarem ser pessoas fortes, tem uma autoestima geralmente muito baixa. 

9- Pessoas inteligentes se envolvem com psicopatas?
Sim. Aqui a capacidade intelectual fica de fora, só a emocional é que conta. 

10- E como sair de um relacionamento assim? 
É difícil pois o psicopata envolve seu parceiro numa trama difícil de se desvincular. Alem disso, vive prometendo mudança que nunca é capaz de cumprir. O parceiro acaba dando mais uma chance. Sair desse cárcere emocional não é simples, mas é libertador.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários